368. Quando é que o acto é moralmente bom?

O acto é moralmente bom quando supõe, ao mesmo tempo, a bondade do objecto, do [N63]fim em vista e das circunstâncias. O objecto escolhido pode, por si só, viciar toda a acção, mesmo se a sua intenção for boa. Não é lícito fazer o mal para que dele derive um bem. Um fim mau pode corromper a acção, mesmo que, em si, o seu objecto seja bom. Pelo contrário, um fim bom não torna bom um comportamento que for mau pelo seu objecto, uma vez que o fim não justifica os meios. As circunstâncias podem atenuar ou aumentar a responsabilidade de quem age, mas não podem modificar a qualidade moral dos próprios actos, não tornam nunca boa uma acção que, em si, é má.


Veja este tema no Catecismo

Parágrafo 1755

1755. O acto moralmente bom pressupõe, em simultâneo, a bondade do objecto, da finalidade e das circunstâncias. Um fim mau corrompe a acção, mesmo que o seu objecto seja bom em si (como orar e jejuar «para ser visto pelos homens»). O objecto da escolha pode, por si só, viciar todo um modo de agir. Há comportamentos concretos – como a fornicação – cuja escolha é sempre um erro, porque comporta uma desordem da vontade, isto é, um mal moral.

Parágrafo 1756

1756. É, portanto, erróneo julgar a moralidade dos actos humanos tendo em conta apenas a intenção que os inspira, ou as circunstâncias (meio, pressão social, constrangimento ou necessidade de agir, etc.) que os enquadram. Há actos que, por si e em si mesmos, independentemente das circunstâncias e das intenções, são sempre gravemente ilícitos em razão do seu objecto; por exemplo, a blasfémia e o jurar falso, o homicídio e o adultério. Não é permitido fazer o mal para que dele resulte um bem.

Parágrafo 1759

1759«Não se pode justificar uma acção má feita com boa intenção» (42). O fim não justifica os meios.

Parágrafo 1760

1760. O acto moralmente bom pressupõe, em simultâneo, a bondade do objecto, da finalidade e das circunstâncias.


Acesse nossos estudos biblicos:

Qual é o significado de Cristo ser a Cabeça da Criação, como mencionado em Colossenses 1:15-17?

O que a Bíblia ensina sobre a importância da humildade e modéstia?

A Torre de Babel: O que essa história nos ensina sobre a soberania de Deus? (Gênesis 11:1-9)

Qual é a relação entre amor e obediência de acordo com a Bíblia?

Qual é a mensagem de Naum 1:7-8 sobre a fidelidade de Deus em meio ao caos?

Qual é a natureza imutável de Deus, de acordo com Malaquias 3:6?

A santidade de Deus e o chamado à santidade: O que o livro de Levítico nos ensina sobre a santidade de Deus e nossa responsabilidade de ser santos? (Levítico 11:44-45; 19:2)

wcp

Share
Published by
wcp

Recent Posts

1. Qual é o desígnio de Deus acerca do homem?

Deus, infinitamente perfeito e bem-aventurado em si mesmo, num desígnio de pura bondade, criou livremente…

5 anos ago

2. Porque é que no homem existe o desejo de Deus?

Ao criar o homem à sua imagem, o próprio Deus inscreveu no coração humano o…

5 anos ago

3. Como é que se pode conhecer Deus apenas com a luz da razão?

A partir da criação, isto é, do mundo e da pessoa humana, o homem pode,…

5 anos ago

4. Basta porém a exclusiva luz da razão para conhecer Deus?

Ao conhecer Deus só com a luz da razão, o homem experimenta muitas dificuldades. Além…

5 anos ago

5. Como se pode falar de Deus?

É possível falar de Deus a todos e com todos, a partir das perfeições do…

5 anos ago

6. O que é que Deus revela ao homem?

Deus revela-se ao homem, na sua bondade e sabedoria. Mediante acontecimentos e palavras, Deus revela-se…

5 anos ago

This website uses cookies.