Evangelho do dia – domingo, 19 de maio de 2024 – João 20,19-23 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Atos 2,1-11)

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava.

Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus na nossa própria língua!”

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Segunda Leitura (1Cor 12,3b-7.12-13)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Anúncio do Evangelho (João 20,19-23)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

– Palavra da Salvação.

– Glória a vós Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Meus irmãos e irmãs em Cristo,

Que a paz de nosso Senhor esteja com vocês! Hoje nos reunimos aqui, movidos pelo Espírito Santo, para celebrar a festa de Pentecostes – um dos momentos mais significativos da história da Igreja.

Imagine por um momento estar em uma sala trancada, com medo, sem saber o que o futuro reserva. Pode ser uma experiência muito familiar para alguns de nós. Agora, imagine que, em um instante, esse medo é substituído por uma coragem indescritível, uma confiança que transforma a sua vida para sempre. Essa é a realidade do Pentecostes, uma transformação poderosa pelo Espírito Santo que mudou o mundo e pode mudar nossas vidas hoje.

Queridos irmãos e irmãs, todos nós enfrentamos momentos de incerteza, medo e confusão. Pode ser uma crise pessoal, um desafio no trabalho, ou até mesmo questões mais amplas que afetam nossa sociedade. Mas a mensagem das Escrituras de hoje nos lembra que Deus nunca nos deixa sozinhos. Ele nos envia o Espírito Santo para nos fortalecer, guiar e renovar.

No dia de Pentecostes, conforme descrito em Atos dos Apóstolos, os discípulos estavam reunidos em um só lugar quando, de repente, um som como de um vento impetuoso encheu a casa. Línguas de fogo pousaram sobre cada um deles, e todos ficaram cheios do Espírito Santo, começando a falar em outras línguas conforme o Espírito lhes concedia. Este evento extraordinário atraiu a atenção de pessoas de todas as nações que estavam em Jerusalém, cada uma ouvindo os discípulos falar em sua própria língua sobre as maravilhas de Deus.

Esse milagre nos mostra que o Espírito Santo é um poder unificador e transformador. Em um mundo tão dividido por línguas, culturas e ideologias, o Espírito Santo nos chama à unidade. Ele nos capacita a superar nossas diferenças e a nos unirmos como uma única família de Deus. Pense nas línguas de fogo como a chama que arde em nossos corações, nos movendo a amar e servir uns aos outros, independentemente de nossas diferenças.

São Paulo nos ensina que há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. Existem diferentes tipos de serviço, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes formas de atuação, mas é o mesmo Deus quem efetua tudo em todos. Em um corpo, há muitos membros, mas todos formam um só corpo. Da mesma forma, nós, batizados em um só Espírito, formamos um único corpo em Cristo.

Essa passagem é uma poderosa lembrança de que cada um de nós tem um papel único e essencial na Igreja. Cada dom que possuímos, cada talento, é dado por Deus para o benefício de todos. Pensemos em um corpo humano: cada órgão, cada membro tem uma função específica e vital. Assim também somos nós, como membros do Corpo de Cristo. Devemos valorizar nossos próprios dons e também os dons dos outros, reconhecendo que todos são necessários para a plenitude da vida cristã.

No Evangelho de João, encontramos os discípulos trancados em uma sala por medo dos judeus. Jesus aparece entre eles e diz: “A paz esteja convosco”. Ele mostra as mãos e o lado, e os discípulos se alegram ao ver o Senhor. Jesus então sopra sobre eles e diz: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”.

Aqui, Jesus nos mostra o poder do Espírito Santo como fonte de paz e perdão. Em meio ao medo e à incerteza, Ele oferece paz. Em um mundo marcado pelo pecado e pela divisão, Ele nos dá o poder de perdoar. O Espírito Santo é o sopro de vida nova, a presença constante de Deus que nos capacita a viver como discípulos autênticos.

Permitam-me compartilhar uma história que ilustra bem esses princípios. Em uma pequena cidade, havia uma igreja com uma congregação diversa. Cada membro trazia seus próprios dons: alguns eram ótimos em ensinar, outros em servir, alguns em música e outros em aconselhamento. No entanto, havia um homem chamado João, que se sentia sem talento. Ele não sabia cantar, ensinar ou servir de maneira evidente. Sentia-se inútil e, muitas vezes, pensava em deixar a igreja.

Um dia, um incêndio começou na cidade, e todos ficaram em pânico. João, que trabalhava como bombeiro voluntário, correu para ajudar. Ele organizou os esforços de resgate, ajudou a apagar o fogo e salvou várias vidas. Depois desse incidente, a congregação percebeu o quanto João era valioso. Ele tinha um dom de liderança e coragem que era crucial para a comunidade.

Essa história nos mostra que cada um de nós tem um dom especial. Mesmo que não seja evidente, Deus nos deu habilidades únicas que podem fazer uma diferença significativa em momentos de necessidade.

O vento e o fogo são metáforas poderosas para o Espírito Santo. O vento, invisível mas poderoso, representa o movimento do Espírito em nossas vidas, nos guiando e movendo em direções inesperadas. O fogo, com sua capacidade de purificar e transformar, representa a santificação que o Espírito traz, queimando nossas imperfeições e nos renovando. Pensemos em como o vento e o fogo trabalham juntos: o vento alimenta o fogo, e o fogo brilha mais intensamente. Assim, o Espírito Santo nos impele a brilhar com a luz de Cristo no mundo.

Então, como podemos aplicar essas lições em nossas vidas diárias?

Buscar Unidade: Devemos trabalhar para superar nossas divisões e buscar a unidade em nossas famílias, comunidades e igrejas. Reconhecer que, mesmo em nossa diversidade, somos um só corpo em Cristo.

Valorizar os Dons: Devemos identificar e valorizar nossos próprios dons e os dos outros, sabendo que todos têm um papel vital a desempenhar no plano de Deus.

Praticar o Perdão: Devemos ser rápidos para perdoar e buscar a reconciliação, lembrando que o perdão é um dos maiores poderes que o Espírito Santo nos dá.

Ser Guiado pelo Espírito: Devemos abrir nossos corações e mentes para a direção do Espírito Santo, permitindo que Ele nos guie em todas as áreas de nossas vidas.

Queridos irmãos e irmãs, o Pentecostes nos lembra do poder transformador do Espírito Santo. Ele nos une, nos fortalece e nos capacita a viver como verdadeiros discípulos de Cristo. Ao sairmos daqui hoje, que possamos carregar essa chama em nossos corações, permitindo que o Espírito nos guie, nos transforme e nos use para espalhar o amor de Deus em um mundo que tanto precisa.

Que a paz de Cristo esteja com todos nós, e que o Espírito Santo nos conduza a uma vida de amor, serviço e unidade. Amém.


Livraria Católica