Evangelho do dia – domingo, 7 de julho de 2024 – Mateus 9,14-17 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Ezequiel 2,2-5)

Leitura da Profecia de Ezequiel.

Naqueles dias, depois de me ter falado, entrou em mim um espírito que me pôs de pé. Então, eu ouvi aquele que me falava, o qual me disse: “Filho do homem, eu te envio aos israelitas, nação de rebeldes, que se afastaram de mim. Eles e seus pais se revoltaram contra mim até ao dia de hoje. A estes filhos de cabeça dura e coração de pedra, vou-te enviar, e tu lhes dirás: ‘Assim diz o Senhor Deus’. Quer te escutem, quer não – pois são um bando de rebeldes – ficarão sabendo que houve entre eles um profeta”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Segunda Leitura (2Cor 12,7-10)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos: Para que a extraordinária grandeza das revelações não me ensoberbecesse, foi espetado na minha carne um espinho, que é como um anjo de Satanás a esbofetear-me, a fim de que eu não me exalte demais. A esse propósito, roguei três vezes ao Senhor que o afastasse de mim. Mas ele disse-me: “Basta-te a minha graça. Pois é na fraqueza que a força se manifesta”. Por isso, de bom grado, eu me gloriarei das minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. Eis porque eu me comprazo nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor a Cristo. Pois, quando eu me sinto fraco, é então que sou forte.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Marcos 6,1-6)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: “De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos? Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?” E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus lhes dizia: “Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares”. E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. E admirou-se com a falta de fé deles. Jesus percorria os povoados das redondezas, ensinando.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Meus amados irmãos e irmãs em Cristo,

Que a paz do Senhor esteja com vocês. Hoje, reunidos aqui nesta casa de Deus, somos chamados a refletir sobre as palavras inspiradas pelas Sagradas Escrituras, que nos guiam em nosso caminho rumo à salvação.

Ao ouvirmos a Primeira Leitura, do livro do profeta Ezequiel, somos confrontados com a poderosa voz de Deus, que convoca Seu servo a proclamar Sua mensagem. Ezequiel é enviado a um povo “rebelde”, que se recusa a ouvir, mas ainda assim ele deve falar, pois “saberão que houve um profeta no meio deles”. Essa passagem nos lembra que, como discípulos de Cristo, também somos chamados a proclamar a Boa Nova, mesmo quando enfrentamos a rejeição e a incredulidade do mundo.

Na Segunda Leitura, São Paulo revela sua própria luta com uma “espinha na carne”, uma provação que o faz implorar a Deus por alívio. Mas a resposta divina é surpreendente: “Minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Aqui, aprendemos que nossas fraquezas e lutas não são sinais de fracasso, mas oportunidades para que a força de Deus se manifeste em nós. Quando aceitamos nossas limitações e confiamos na graça de Deus, Ele pode realizar Suas maravilhas em nossa vida.

O Evangelho de Marcos nos apresenta a visita de Jesus à sua cidade natal, Nazaré. Lá, Ele é rejeitado por Seus próprios conterrâneos, que se escandalizaram com Sua sabedoria e Seus milagres. Essa passagem nos lembra que, assim como Jesus, nós também podemos enfrentar a incredulidade e a falta de fé daqueles que nos são mais próximos. Mas devemos perseverar, pois a Palavra de Deus é poderosa e não pode ser contida.

Meus amigos, essas leituras nos falam de um Deus que nos chama, mesmo quando nos sentimos fracos, rejeitados ou incompreendidos. Elas nos desafiam a sermos corajosos em nossa fé, a confiarmos na graça de Deus e a proclamarmos Sua mensagem, mesmo diante da adversidade.

Muitas vezes, nós, cristãos, nos sentimos como Ezequiel, enviados a um povo “rebelde”, que se recusa a ouvir. Quantas vezes não nos vemos frustrados ao tentarmos compartilhar nossa fé com familiares, amigos ou colegas que parecem indiferentes ou até hostis aos ensinamentos de Jesus? É fácil nos sentirmos derrotados, como se nossa missão fosse em vão.

Mas, assim como Ezequiel, nós devemos persistir, pois sabemos que o Senhor está conosco. Assim como São Paulo, podemos lutar com nossas próprias fraquezas e tentações, mas devemos confiar que a graça de Deus é suficiente para nós. E assim como Jesus em Nazaré, também podemos experimentar a rejeição daqueles que nos são mais próximos. Mas devemos manter viva nossa fé, pois a Palavra de Deus não pode ser contida.

Meus irmãos e irmãs, não deixemos que as dificuldades e os desafios da vida cristã nos desanimem. Ao contrário, que eles nos fortaleçam e nos motivem a proclamar ainda mais alto a mensagem do Evangelho. Pois, como nos ensina a Primeira Leitura, “saberão que houve um profeta no meio deles”. Que sejamos nós esses profetas, fiéis mensageiros da Boa Nova de Jesus Cristo.

Quando enfrentamos a rejeição e a incredulidade daqueles que nos são próximos, lembremos das palavras de São Paulo: “Minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Não nos deixemos abater pela nossa fragilidade, mas confiemos na força de Deus, que pode realizar maravilhas através de nós.

E quando a tarefa de evangelizar parecer árdua e sem frutos, lembremos da perseverança de Jesus em Nazaré. Ele não se deixou deter pela falta de fé de Seus conterrâneos, mas continuou Sua missão, pois Sua Palavra não pode ser contida. Que nós, também, mantenhamos viva essa mesma determinação, proclamando incansavelmente a Boa Nova a um mundo que, muitas vezes, se recusa a ouvir.

Meus queridos, sejamos profetas corajosos, instrumentos da graça de Deus e testemunhas fiéis de Sua infinita misericórdia. Que nossa fraqueza não nos impeça de anunciar as maravilhas do Senhor, pois Ele é a fonte de nossa força. E que, mesmo diante da rejeição e da incredulidade, perseveremos em nossa missão, confiantes de que a Palavra de Deus não pode ser detida.

Que o Espírito Santo nos ilumine e nos guie, para que, como Ezequiel, São Paulo e o próprio Jesus, sejamos capazes de levar a todos a mensagem de salvação. Que nossa vida seja um testemunho vivo do amor de Deus, a fim de que, através de nós, Ele possa alcançar o coração de todos os que ainda não O conhecem.

Que a paz de Cristo esteja sempre convosco. Amém.


Livraria Católica