Evangelho do dia – quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024 – Lucas 9,22-25 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Dt 30,15-20)

Leitura do Livro do Deuteronômio.

Moisés falou ao povo dizendo: “Vê que eu hoje te proponho a vida e a felicidade, a morte e a desgraça. Se obedeceres aos preceitos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos, suas leis e seus decretos, viverás e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que vais entrar, para possuí-la.

Se, porém, o teu coração se desviar e não quiseres escutar, e se, deixando-te levar pelo erro, adorares deuses estranhos e os servires, eu vos anuncio hoje que certamente perecereis. Não vivereis muito tempo na terra onde ides entrar, depois de atravessar o Jordão, para ocupá-la.

Tomo hoje o céu e a terra como testemunhas contra vós, de que vos propus a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e teus descendentes, amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz e apegando-te a ele — pois ele é a tua vida e prolonga os teus dias —, a fim de que habites na terra que o Senhor jurou dar a teus pais Abraão, Isaac e Jacó”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.



Evangelho (Lc 9,22-25)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.

Depois Jesus disse a todos: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará.

Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, eu gostaria de começar nossa reflexão com uma pergunta simples, mas profunda: Como vocês se sentem quando acordam de manhã? Alguns de vocês podem se sentir revigorados e animados com o novo dia que se inicia. Outros podem se sentir cansados e relutantes em deixar o conforto de suas camas. E há também aqueles que acordam com uma sensação de incerteza, preocupação ou até mesmo desespero, devido aos desafios que enfrentam em suas vidas.

Independentemente de como vocês se sintam ao acordar, acredito que todos nós compartilhamos uma coisa em comum: o desejo de encontrar um propósito significativo em nossas vidas. Queremos saber que estamos no caminho certo, que não estamos apenas vagando sem rumo, mas que estamos vivendo de acordo com o plano de Deus para nós.

É exatamente sobre isso que gostaria de falar hoje, inspirado pelas leituras bíblicas que acabamos de ouvir. A primeira leitura, do Livro de Deuteronômio, nos fala sobre a escolha que temos diante de nós. Moisés diz ao povo de Israel: “Ponho diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas”.

Essas palavras ressoam profundamente em nossas vidas hoje. Todos os dias, somos confrontados com escolhas. Escolhas que podem nos levar mais perto de Deus e de seu plano para nós, ou escolhas que podem nos afastar d’Ele. É importante lembrar que Deus nos deu o livre-arbítrio, a capacidade de escolher o caminho que queremos seguir.

No entanto, essa liberdade de escolha não deve ser encarada como uma licença para fazer o que queremos sem consequências. Pelo contrário, nossas escolhas têm implicações reais em nossas vidas e na vida dos outros ao nosso redor. Assim como no Livro de Deuteronômio, somos chamados a escolher a vida, a escolher o caminho que nos leva mais perto de Deus e de seu amor.

E é aqui que a passagem do Evangelho de Lucas se conecta com essa ideia. Jesus diz aos seus discípulos: “Se alguém quiser seguir-me, renuncie a si mesmo, tome sua cruz diariamente e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa, a salvará”.

Essas palavras de Jesus podem parecer duras à primeira vista, mas elas nos revelam uma verdade profunda. Seguir Jesus implica em renúncia, em deixar de lado nossos próprios interesses e desejos egoístas. Significa abraçar a cruz diariamente, enfrentar os desafios e dificuldades que encontramos no caminho, sabendo que Deus está conosco em todas as circunstâncias.

Mas por que Jesus nos pede para renunciar a nós mesmos? Porque Ele sabe que, muitas vezes, estamos presos em nossos próprios apegos e preocupações mundanas, que nos afastam do verdadeiro propósito de nossas vidas. Ele nos convida a olhar além de nossas próprias necessidades e desejos imediatos e a nos abrir para algo maior, algo que só encontraremos quando entregarmos nossa vida a Ele.

Queridos irmãos e irmãs, permitam-me ilustrar essa verdade com uma história que me foi contada recentemente. Havia um homem que vivia em uma pequena vila. Ele era conhecido por sua generosidade e compaixão para com os outros. Certo dia, um mendigo bateu à sua porta, implorando por comida e abrigo. O homem, mesmo tendo pouco para si, acolheu o mendigo em sua casa e compartilhou o pouco que tinha.

Alguns dias depois, o mendigo revelou sua verdadeira identidade: ele era um anjo enviado por Deus para testar a bondade do homem. Como recompensa por sua generosidade, o homem recebeu uma bênção especial: ele foi agraciado com uma vida de abundância e alegria.

Essa história nos lembra que, ao renunciarmos a nós mesmos enos abrirmos para os outros, somos abençoados de maneiras que não podemos imaginar. Ao escolhermos seguir Jesus e viver de acordo com seu exemplo, descobrimos um propósito maior e experimentamos a plenitude da vida que Deus deseja para nós.

Mas como podemos aplicar essas verdades espirituais em nossas vidas cotidianas? Como podemos fazer escolhas que nos levem mais perto de Deus e nos ajudem a encontrar nosso propósito? Permitam-me oferecer algumas orientações práticas.

Primeiro, precisamos cultivar uma vida de oração. Através da oração, nos conectamos com Deus, buscamos sua orientação e fortalecemos nosso relacionamento com Ele. É na oração que encontramos a sabedoria e a força necessárias para fazer as escolhas certas em nossa jornada.

Em segundo lugar, devemos ser conscientes de nossas escolhas diárias. Cada decisão, por menor que seja, tem o potencial de nos aproximar ou nos afastar de Deus. Perguntemo-nos: “Esta escolha me leva mais perto de Deus? Honra a minha fé e os ensinamentos de Cristo?”. Ao fazermos essa reflexão, seremos capazes de discernir o melhor caminho a seguir.

Além disso, é importante buscar orientação na Palavra de Deus. A Bíblia é uma fonte inesgotável de sabedoria e orientação para nossas vidas. Ao estudarmos as Escrituras e meditarmos em seus ensinamentos, encontramos princípios que nos guiam em nossas escolhas e nos ajudam a viver de acordo com o plano de Deus.

Outro aspecto fundamental é o serviço aos outros. Jesus nos ensinou que amar e servir os outros é o cerne de nossa fé. Quando nos colocamos a serviço dos mais necessitados, quando estendemos a mão aos que sofrem, estamos seguindo o exemplo de Cristo e encontrando nosso propósito em ajudar a construir o Reino de Deus aqui na terra.

Queridos irmãos e irmãs, hoje somos convidados a refletir sobre as escolhas que fazemos em nossas vidas. Somos convidados a escolher a vida, a renunciar a nós mesmos e a seguir Jesus, mesmo que isso envolva desafios e sacrifícios. Nossas escolhas têm um impacto eterno, tanto em nossa própria vida quanto na vida dos outros.

Que possamos encontrar força nas palavras de Moisés e de Jesus, e que possamos sempre escolher a vida, o caminho que nos leva mais perto de Deus. Que possamos ter a coragem de renunciar a nós mesmos e de levar nossa cruz diariamente, confiando que Deus está conosco em cada passo do caminho.

Que o Espírito Santo nos guie e nos ilumine enquanto buscamos viver de acordo com as verdades das Escrituras. Que possamos ser testemunhas vivas do amor e da graça de Deus em nossas vidas, impactando o mundo ao nosso redor.

E assim, encerro esta homilia com palavras de esperança e encorajamento: Deus está conosco em nossa jornada. Ele nos chama para uma vida de propósito e significado. Que possamos caminhar juntos, buscando sempre escolher a vida e seguir Jesus, para que possamos experimentar a plenitude da vida que Deus tem reservada para nós.

Que assim seja. Amém.


Livraria Católica