Evangelho do dia – quinta-feira, 7 de março de 2024 – Lucas 11,14-23 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Jr 7,23-28)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

Assim fala o Senhor: Dei esta ordem ao povo dizendo: Ouvi a minha voz, assim serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e segui adiante por todo o caminho que eu vos indicar para serdes felizes. Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para a frente, desde o dia em que seus pais saíram do Egito até ao dia de hoje. A todos enviei meus servos, os profetas, e enviei-os cada dia, começando bem cedo; mas não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, obstinaram-se no erro, procedendo ainda pior que seus pais. Se falares todas essas coisas, eles não te escutarão, e, se os chamares, não te darão resposta. Dirás, então: Esta é a nação que não escutou a voz do Senhor, seu Deus, e não aceitou correção. Sua fé morreu, foi arrancada de sua boca.’

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Lc 11,14-23)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. Mas alguns disseram: ‘É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios.’ Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: ‘Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra. Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino?
Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, nos encontramos aqui nesta igreja para refletir sobre a Palavra de Deus e como ela se aplica às nossas vidas diárias. Ao olhar para as passagens bíblicas escolhidas para hoje, somos desafiados a mergulhar na profundidade das Escrituras e a compreender a importância de vivermos de acordo com os ensinamentos de Deus.

Imagine, por um momento, que você está em um dia comum de trabalho ou estudo. Você está cercado por colegas, amigos e familiares, cada um com sua própria carga de preocupações, alegrias e desafios. É nesse contexto que as palavras de Jeremias nos atingem: “Esta é a nação que não escutou a voz do Senhor seu Deus” (Jr 7,28).

Essa afirmação de Jeremias ressoa em nossa sociedade atual, onde tantas vezes nos esquecemos de escutar a voz de Deus. Estamos tão ocupados com nossas vidas agitadas, nossas ambições pessoais e as distrações do mundo que negligenciamos o relacionamento com Deus e a obediência aos seus mandamentos.

Mas Deus está nos chamando hoje para voltarmos a ele, para ouvir a sua voz e seguir os seus caminhos. Ele nos convida a uma vida de obediência e comunhão com ele. E é no Evangelho de Lucas que encontramos um exemplo poderoso dessa obediência.

No evangelho de hoje, Jesus expulsa um demônio de um homem mudo, e a multidão fica maravilhada. Mas alguns dos presentes começam a questionar a autoridade de Jesus, atribuindo seus milagres ao poder de Belzebu, o príncipe dos demônios. Jesus responde a eles com palavras fortes: “Se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus” (Lc 11,20).

Nessa resposta, Jesus nos mostra que o Reino de Deus está presente na sua pessoa e na sua missão. Ele é o Filho de Deus, o Messias prometido, e tem autoridade sobre todo o mal. Ele veio para libertar os cativos, curar os doentes e trazer a salvação a todos.

Olhando para essa passagem, podemos tirar algumas lições importantes para nossa vida cotidiana. Primeiro, assim como Jesus expulsou o demônio e libertou o homem mudo, também somos chamados a reconhecer e enfrentar as forças do mal em nossas vidas. Muitas vezes, nos encontramos lutando contra tentações, vícios e maus hábitos que nos afastam de Deus. Precisamos ter coragem e buscar a libertação que só Jesus pode nos oferecer.

Além disso, Jesus nos desafia a não sermos indiferentes à sua presença e ao seu poder. Ele diz: “Quem não está comigo, está contra mim” (Lc 11,23). Não podemos ficar em cima do muro, sem escolher verdadeiramente seguir a Cristo. Devemos tomar uma posição clara e comprometida com ele, reconhecendo que ele é o Senhor de nossas vidas.

Em nossa vida diária, pode ser tentador buscar soluções superficiais para nossos problemas ou confiar em nossas próprias forças. Mas Jesus nos lembra que só ele tem o poder de nos libertar verdadeiramente e nos trazer a paz que tanto desejamos. Devemos estar dispostos a contar com ele em todas as áreas de nossas vidas, buscando a sua vontade e confiando em seu amor.

E agora, irmãos e irmãs, vamos nos perguntar: como podemos aplicar essas lições em nossas vidas cotidianas? Como podemos ser verdadeiros discípulos de Jesus, seguindo sua autoridade e vivendo de acordo com seus ensinamentos?

Uma maneira é através da repetição estratégica e do reforço de temas-chave. Assim como um músico repete uma melodia para enfatizar sua beleza, também devemos repetir os princípios espirituais para que eles sejam gravados em nossos corações e se tornem parte de quem somos.

Por exemplo, quando Jesus diz: “Quem não está comigo, está contra mim” (Lc 11,23), ele está nos lembrandoda importância de tomar uma posição clara em relação a ele. Podemos repetir essa frase em nossas mentes todos os dias, lembrando-nos de que não podemos ser indiferentes à sua presença em nossas vidas. Devemos escolher estar com ele, renunciando a tudo o que nos afasta dele.

Além disso, podemos utilizar metáforas e imagens visuais para tornar a mensagem mais vívida e memorável. Por exemplo, podemos imaginar Jesus expulsando o demônio do homem mudo como um símbolo do poder de Cristo para nos libertar das correntes do pecado e do mal. Essa imagem nos ajuda a compreender a magnitude da obra de Jesus e nos inspira a confiar nele para nossa própria libertação.

Outra forma de aplicar essas lições é através da reflexão pessoal e da ação prática. Convido cada um de vocês a reservar um momento de silêncio em suas vidas diárias, para se conectar com Deus, ouvir a sua voz e discernir a sua vontade. Permita que Deus fale ao seu coração e lhe mostre áreas em que você precisa se render a ele e confiar em seu poder.

Além disso, desafio vocês a agirem de acordo com essas lições. Talvez haja pessoas em sua vida que estão lutando contra o mal e precisam da sua ajuda e encorajamento. Seja um instrumento de Deus para trazer libertação e cura, compartilhando o amor e a verdade de Cristo com os outros.

E, finalmente, irmãos e irmãs, quero encorajá-los a viverem com esperança, graça e amor. Lembrem-se de que Jesus é o caminho, a verdade e a vida, e que nele encontramos a plenitude da alegria e da paz. Não importa quais sejam os desafios que vocês enfrentam, coloquem sua confiança em Deus e permitam que ele guie seus passos.

Que possamos ser uma comunidade de discípulos fiéis, dispostos a ouvir a voz de Deus e seguir seus caminhos. Que nossas vidas sejam um testemunho vivo do poder transformador de Cristo em nós. E que, ao nos rendermos a ele, experimentemos a verdadeira liberdade e a plenitude da vida abundante que ele nos oferece.

Que Deus abençoe a todos nós e nos dê a graça de vivermos de acordo com sua vontade. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Livraria Católica