Evangelho do dia – segunda-feira, 10 de junho de 2024 – Marcos 3,20-36 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (1Reis 17,1-6)

Leitura do Primeiro Livro dos Reis.

Naqueles dias, o profeta Elias, tesbita de Tesbi de Galaad, disse a Acab: “Pela vida do Senhor, o Deus de Israel, a quem sirvo, não haverá nestes anos nem orvalho nem chuva, senão quando eu disser!” E a palavra do Senhor foi dirigida a Elias nestes termos: “Parte daqui e toma a direção do oriente. Vai esconder-te junto à torrente de Carit, que está defronte ao Jordão. Lá beberás da torrente. E eu ordenei aos corvos que te deem alimento”. Elias partiu e fez como o Senhor lhe tinha ordenado, e foi morar junto à torrente de Carit, que está defronte ao Jordão. Os corvos traziam-lhe pão e carne, tanto de manhã como de tarde, e ele bebia da torrente.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Mateus 5,1-12)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, e Jesus começou a ensiná-los: “Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados. Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus. Bem aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus. Do mesmo modo perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, somos agraciados com duas leituras profundamente inspiradoras que nos convidam a refletir sobre a confiança em Deus e a verdadeira bem-aventurança. A primeira leitura, de 1 Reis 17,1-6, nos apresenta a história do profeta Elias e a sua dependência total da providência divina. No Evangelho de Mateus 5,1-12, encontramos as Bem-aventuranças, um dos trechos mais conhecidos e transformadores das Escrituras, onde Jesus nos revela o caminho para a verdadeira felicidade e realização.

Vamos começar com a história de Elias. Elias surge em um momento de grande apostasia e idolatria em Israel, quando o rei Acabe e sua esposa Jezabel lideravam o povo na adoração de Baal. Em um ato de coragem e obediência, Elias anuncia uma seca como juízo de Deus sobre a terra. A seca representava não apenas uma crise física, mas uma crise espiritual, um chamado ao arrependimento e à volta ao Deus verdadeiro.

Após seu anúncio, Elias é instruído pelo Senhor a esconder-se junto ao riacho de Querite, onde ele seria sustentado por corvos que lhe trariam pão e carne, e poderia beber da água do riacho. Aqui, vemos uma imagem poderosa da confiança e da provisão divina. Elias obedece sem questionar, confia na palavra de Deus e experimenta o cuidado providencial do Senhor em meio à adversidade.

Imaginem a situação de Elias. Ele estava sozinho, escondido, confiando em uma promessa que desafiava a lógica humana. Corvos, que normalmente são aves que se alimentam de carniça, foram transformados em mensageiros de sustento. Esta história nos ensina sobre a fidelidade de Deus e a importância de confiar n’Ele mesmo quando as circunstâncias parecem impossíveis.

A confiança de Elias em Deus pode ser comparada a uma criança que confia plenamente em seus pais, sabendo que será cuidada e protegida. Elias nos mostra que, quando colocamos nossa confiança em Deus, Ele não nos abandona. Mesmo nas situações mais desafiadoras, Deus provê o que precisamos.

Agora, vamos para o Evangelho de Mateus, onde Jesus nos apresenta as Bem-aventuranças. Este sermão, proferido no monte, é um dos momentos mais icônicos do ministério de Jesus. As Bem-aventuranças nos oferecem um retrato do Reino de Deus, desafiando as normas e expectativas do mundo.

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus.” Esta primeira bem-aventurança nos chama à humildade e ao reconhecimento de nossa dependência de Deus. Ser pobre em espírito significa reconhecer nossa necessidade de Deus, nossa incapacidade de encontrar a verdadeira felicidade e realização fora d’Ele.

“Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.” Jesus nos lembra que o sofrimento e a tristeza não são o fim. Ele promete consolo e cura para aqueles que estão aflitos, mostrando que em meio às lágrimas, Deus está presente, oferecendo conforto e esperança.

“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.” A mansidão, muitas vezes vista como fraqueza, é exaltada por Jesus como uma virtude poderosa. Ser manso é ser humilde e gentil, confiando na justiça e na providência de Deus em vez de recorrer à violência ou à força.

“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.” Esta bem-aventurança nos desafia a buscar a justiça de Deus com a mesma intensidade com que buscamos alimento e água. É um chamado a agir com retidão e a trabalhar para um mundo mais justo e compassivo.

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” A misericórdia é o coração do Evangelho. Somos chamados a perdoar e a mostrar compaixão, assim como Deus tem sido misericordioso conosco.

“Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.” A pureza de coração implica sinceridade e integridade. É viver uma vida que busca a santidade e que rejeita a hipocrisia.

“Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” Em um mundo marcado por conflitos e divisões, Jesus nos chama a ser agentes de paz, promovendo a reconciliação e a harmonia.

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” Esta última bem-aventurança nos lembra que seguir a Jesus pode trazer perseguição e sofrimento, mas nos assegura que nossa recompensa está no céu.

As Bem-aventuranças desafiam a lógica do mundo. Elas nos convidam a um estilo de vida que valoriza a humildade, a compaixão, a justiça e a paz. Elas nos chamam a colocar nossa confiança em Deus e a buscar Sua vontade em todas as áreas de nossa vida.

Assim como Elias confiou na provisão de Deus em tempos de seca, somos chamados a confiar em Deus em todas as circunstâncias. Podemos enfrentar dificuldades, perseguições e desafios, mas as Bem-aventuranças nos asseguram que Deus está conosco e que Ele abençoa aqueles que seguem Seu caminho.

Meus irmãos e irmãs, vamos refletir sobre como essas leituras se aplicam às nossas vidas. Como podemos cultivar uma confiança mais profunda em Deus? Como podemos viver as Bem-aventuranças em nosso cotidiano? Talvez seja ajudando aqueles que estão em necessidade, mostrando compaixão aos que sofrem, buscando a justiça em nossas comunidades, ou promovendo a paz em nossos relacionamentos.

Vamos tirar um momento para refletir em silêncio. Peçamos a Deus a graça de viver de acordo com Seus ensinamentos, confiando plenamente em Sua providência e buscando as bem-aventuranças como nosso guia.

Senhor, nós Te agradecemos por Tua palavra de hoje. Ajuda-nos a confiar em Ti como Elias confiou e a viver as bem-aventuranças como Jesus nos ensinou. Dá-nos a coragem de seguir Teu caminho, mesmo quando é difícil, e a sabedoria de buscar Teu Reino em tudo o que fazemos. Que possamos ser luz em um mundo necessitado de esperança e amor. Amém.

Ao sairmos daqui hoje, levemos conosco a mensagem de confiança e bem-aventurança. Que possamos viver de uma maneira que reflita o amor e a justiça de Deus, sendo testemunhas de Sua graça e misericórdia em todas as nossas ações. Que a paz de Cristo esteja sempre com vocês. Amém.


Livraria Católica