Evangelho do dia – segunda-feira, 11 de março de 2024 – João 4,43-54 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Is 65,17-21)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Assim fala o Senhor: Eis que eu criarei novos céus e nova terra, coisas passadas serão esquecidas, não voltarão mais à memória. Ao contrário, haverá alegria e exultação sem fim em razão das coisas que eu vou criar; farei de Jerusalém a cidade da exultação e um povo cheio de alegria.

Eu também exulto com Jerusalém e alegro-me com o meu povo; ali nunca mais se ouvirá a voz do pranto e o grito de dor. Ali não haverá crianças condenadas a poucos dias de vida nem anciãos que não completem seus dias. Será considerado jovem quem morrer aos cem anos; e quem não alcançar cem anos, passará por maldito. Construirão casas para nelas morar, plantarão vinhas para comer seus frutos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Jo 4,43-54)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus partiu da Samaria para a Galileia. O próprio Jesus tinha declarado, que um profeta não é honrado na sua própria terra. Quando então chegou à Galileia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém, durante a festa. Pois também eles tinham ido à festa. Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado água em vinho.

Havia em Cafarnaum um funcionário do rei que tinha um filho doente. Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Cafarnaum curar seu filho, que estava morrendo. Jesus disse-lhe: “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. O funcionário do rei disse: “Senhor, desce, antes que meu filho morra!” Jesus lhe disse: “Podes ir, teu filho está vivo”. O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora.

Enquanto descia para Cafarnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o seu filho estava vivo. O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: “A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde”. O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: “Teu filho está vivo”. Então, ele abraçou a fé, juntamente com toda a sua família. Esse foi o segundo sinal de Jesus. Realizou-o quando voltou da Judeia para a Galileia.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Refletindo a Palavra de Deus

Caros irmãos e irmãs, que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo estejam com todos vocês. Hoje, gostaria de compartilhar uma mensagem que nos convida a refletir sobre a incrível misericórdia de Deus, que se manifesta em meio às nossas experiências diárias. À medida que mergulhamos nas passagens bíblicas que nos foram apresentadas – a Primeira Leitura do Livro de Isaías e o Evangelho segundo João – vamos descobrir a profundidade do amor divino e a promessa de salvação que Ele nos oferece.

Imaginem-se em um dia ensolarado, quando tudo parece perfeito e a vida está em harmonia. Vocês caminham por um jardim cheio de flores coloridas, sentindo a brisa suave acariciar o rosto. Nesse momento, vocês são envolvidos por uma sensação de alegria e paz. Essa é a imagem que a Primeira Leitura nos traz. O profeta Isaías nos transporta para um futuro glorioso, onde Deus promete criar novos céus e nova terra, onde não haverá dor, tristeza ou morte. É uma visão de esperança e restauração, onde todas as coisas serão renovadas.

Essa promessa de Deus é uma fonte de consolo para nós, especialmente quando enfrentamos tempos difíceis. A vida nem sempre é um jardim ensolarado; muitas vezes, somos confrontados com desafios, dores e perdas. Mas Deus nos assegura que Ele está no controle e que um dia todas as coisas serão restauradas. Ele nos convida a olhar além das dificuldades presentes e a fixar nossos olhos na esperança futura.

No entanto, é importante lembrar que essa promessa não é apenas para o futuro, mas também tem repercussões em nossas vidas aqui e agora. O Evangelho segundo João nos apresenta um exemplo poderoso disso. Jesus encontra-se com um oficial do rei que implora pela cura de seu filho, à beira da morte. O oficial está desesperado, mas Jesus lhe diz: “Vai, o teu filho está vivo”. O oficial acredita na palavra de Jesus e, quando retorna a sua casa, encontra seu filho são e salvo.

Essa história nos ensina sobre a importância da fé e da confiança em Deus. O oficial do rei estava enfrentando uma situação desesperadora, mas ele escolheu confiar em Jesus, acreditando que Ele tinha o poder de mudar a situação. E Jesus não o decepcionou. Ele curou o filho do oficial, demonstrando o poder e a misericórdia divina.

Essa história nos desafia a examinar nossa própria fé. Quando enfrentamos dificuldades, somos capazes de confiar em Deus da mesma forma? Ou nos deixamos consumir pela preocupação e pelo medo? Jesus nos convida a confiar nele, mesmo quando as circunstâncias parecem impossíveis. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. Ele é o Deus que cura, que restaura e que traz vida onde há morte.

Essas passagens nos lembram que Deus está presente em todas as áreas de nossas vidas. Ele não é apenas um Deus distante e inacessível; Ele é um Deus que se importa com nossas lutas e que deseja nos oferecer esperança e cura. Ele está ativamente envolvido em nossas vidas, mesmo quando não O percebemos.

Assim como o oficial do rei, somos chamados a confiar em Deus, acreditar em Sua Palavra e agir de acordo com Sua vontade. Quando enfrentamos desafios, quando nos deparamos com situações impossíveis, devemos nos lembrar de que Deus está conosco. Ele é o nosso refúgio, nossa fortaleza e nossa esperança.

E como podemos aplicar essas verdades espirituais em nossas vidas diárias? Permitam-me dar-lhes algumas orientações práticas:

Primeiro, cultivem uma vida de oração. A oração é o meio pelo qual nos conectamos com Deus, onde oferecemos nossas preocupações, pedidos e ações de graças. Quando nos aproximamos de Deus em oração, Ele nos ouve e nos responde. Ele nos concede a paz que excede todo entendimento.

Segundo, leiam e meditem na Palavra de Deus. A Bíblia éa revelação de Deus para nós, contendo Suas promessas, princípios e ensinamentos. Ao mergulharmos nas Escrituras, somos nutridos e fortalecidos espiritualmente. A Palavra de Deus nos guia em nossas decisões e nos oferece sabedoria para enfrentar os desafios da vida.

Terceiro, busquem a comunhão com outros crentes. A vida cristã não é uma jornada solitária. Deus nos deu uns aos outros para encorajamento, apoio e crescimento espiritual. Ao nos reunirmos em comunidade, compartilhamos nossas alegrias e tristezas, oramos uns pelos outros e nos fortalecemos mutuamente.

Quarto, pratiquem o amor e a compaixão. Assim como Jesus demonstrou amor e compaixão pelo oficial do rei, somos chamados a amar e cuidar uns dos outros. Sejamos sensíveis às necessidades dos que nos rodeiam e estejamos dispostos a estender uma mão amiga. O amor de Deus é manifestado através de nossas ações.

Quinto, vivam vidas de gratidão. Apesar das dificuldades que enfrentamos, há sempre motivos para agradecer a Deus. Agradeçam por Sua fidelidade, por Sua bondade e por Suas bênçãos diárias. A gratidão nos mantém humildes e nos lembra de que tudo o que temos vem de Deus.

Queridos irmãos e irmãs, que essas palavras inspirem e desafiem vocês a viverem de acordo com as verdades dessas passagens bíblicas. Que possamos confiar em Deus em todas as circunstâncias, sabendo que Ele é capaz de trazer esperança, cura e restauração. Que possamos nos aproximar Dele em oração, meditar em Sua Palavra, buscar comunhão com outros crentes, praticar o amor e a compaixão, e viver vidas de gratidão.

Que a graça e a paz de Deus estejam com vocês. Amém.


Livraria Católica