Evangelho do dia – segunda-feira, 8 de abril de 2024 – Lucas 1,26-38 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Is 7,10-14;8,10)

Leitura do Profeta Isaías.

Naqueles dias, o Senhor falou com Acaz, dizendo: “Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal, quer provenha da profundeza da terra, quer venha das alturas do céu”. Mas Acaz respondeu: “Não pedirei nem tentarei o Senhor”. Disse o profeta: “Ouvi então, vós, casa de Davi; será que achais pouco incomodar os homens e passais a incomodar até o meu Deus? Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal. Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Emanuel, porque Deus está conosco.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Segunda Leitura (Hb 10,4-10)

Leitura da Carta aos Hebreus.

Irmãos, é impossível eliminar os pecados com o sangue de touros e bodes. Por isso, ao entrar no mundo, Cristo afirma: “Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo. Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. Por isso eu disse: Eis que eu venho. No livro está escrito a meu respeito: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade”. Depois de dizer: “Tu não quiseste nem te agradaram vítimas, oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado” — coisas oferecidas segundo a Lei — ele acrescenta: “Eu vim para fazer a tua vontade”. Com isso, suprime o primeiro sacrifício, para estabelecer o segundo. É graças a esta vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Lc 1,26-38)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”

Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.

Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, quero compartilhar com vocês uma reflexão inspirada nas passagens bíblicas que foram proclamadas. Elas nos trazem mensagens poderosas sobre a presença de Deus em nossas vidas, sobre o cumprimento de Suas promessas e sobre a importância de nossa resposta de fé.

Imagine-se por um momento em um dia comum, cumprindo suas tarefas diárias, imerso nas preocupações e desafios da vida. Você está envolvido em suas atividades, talvez pensando no trabalho, nos estudos, nas responsabilidades familiares. E então, de repente, algo extraordinário acontece. Você é surpreendido por uma visita inesperada, um encontro divino que muda o curso de sua existência.

Isso é exatamente o que aconteceu com Maria, a jovem virgem de Nazaré, quando o anjo Gabriel apareceu a ela. Ela estava vivendo sua vida cotidiana, uma jovem simples, dedicada à sua família e às suas obrigações. E então, em um momento único, sua vida se transformou completamente.

O anjo anunciou a Maria que ela seria a mãe do Filho de Deus, o Salvador prometido. Imagine o turbilhão de emoções que Maria deve ter sentido naquele momento: choque, medo, perplexidade. Como isso poderia acontecer? Como ela poderia ser digna de uma missão tão grandiosa?

Mas o anjo lhe disse: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo”.

Maria, com sua humildade e coragem, respondeu ao chamado de Deus com confiança e abertura. Ela disse: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Com essas palavras, Maria se tornou um exemplo de total abandono à vontade de Deus, de entrega confiante a Seus planos.

Essa passagem nos convida a refletir sobre nossa própria resposta à vontade de Deus em nossas vidas. Quantas vezes somos chamados a sair de nossa zona de conforto, a deixar de lado nossos planos e a confiar na providência divina? Assim como Maria, também somos convidados a dizer “sim” a Deus, a colocar nossa confiança em Suas mãos e a abrir-nos à Sua ação em nós.

Na segunda leitura, da Carta aos Hebreus, somos lembrados de que os sacrifícios e ofertas da Antiga Aliança não são suficientes para nos redimir e nos aproximar de Deus. A lei antiga era um sinal preparatório, uma sombra do que estava por vir em Jesus Cristo.

Jesus, o Filho de Deus encarnado, veio ao mundo para cumprir plenamente a vontade do Pai. Ele se tornou o sacrifício perfeito, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Sua morte na cruz nos reconcilia com Deus e nos abre as portas da salvação.

Ao contemplar o mistério da encarnação e da redenção, somos convidados a nos perguntar: como respondemos a esse dom extraordinário de amor? Como vivemos nossa fé no dia a dia, conscientes de que Jesus deu Sua vida por nós?

A resposta está em nossa própria vida de sacrifício e amor. A exemplo de Cristo, somos chamados a oferecer nossas vidas como um dom a Deus e aos outros. Isso implica em renunciar a nosso egoísmo, nossos desejos egoístas e nossas ambições desmedidas. Significa amar sacrificialmente, perdoar generosamente e servir humildemente.

Às vezes, pode parecer difícil viver dessa maneira. Podemos enfrentar desafios, tentações e obstáculos que nos afastam do caminho do amor. Mas é nesses momentos que somos chamados a nos lembrar do exemplo de Maria.

Maria enfrentou enormes desafios em sua vida. Ela teve que enfrentar o escárnio e a rejeição da sociedade, a dor de ver seu Filho crucificado e a incerteza do futuro. No entanto, ela permaneceu firme em sua fé, confiando na fidelidade de Deus. Ela se tornou uma testemunha poderosa do amor de Deus manifestado em Cristo.

Assim como Maria, somos convidados a confiar na fidelidade de Deus, mesmo nas circunstâncias mais difíceis. Somos chamados a permanecer firmes em nossa fé, acreditando que Deus está conosco em todas as situações. Ele nunca nos abandona, mesmo quando enfrentamos adversidades.

Lembremo-nos de que a graça de Deus está sempre disponível para nós. Ele nos fortalece e nos capacita a viver de acordo com Sua vontade. Quando nos sentimos fracos, podemos recorrer à Sua graça e buscar Sua orientação. Ele nos dá força para superar nossas limitações e nos capacita a viver uma vida de santidade.

Queridos irmãos e irmãs, que esta mensagem de hoje nos desafie a uma ação concreta em nossas vidas. Que não seja apenas um discurso bonito, mas uma chamada à mudança real e transformação interior.

Vejamos as passagens bíblicas que refletimos hoje como um convite pessoal de Deus para cada um de nós. Ele nos chama a abrir nossos corações a Ele, a confiar em Seus planos mesmo quando não os compreendemos totalmente. Ele nos convida a oferecer nossas vidas como um sacrifício vivo, como um testemunho de amor e serviço aos outros.

Olhemos ao nosso redor e encontremos maneiras práticas de viver essa fé. Podemos começar em nossas próprias casas, amando e perdoando nossos familiares. Podemos estender essa atitude de amor aos nossos vizinhos, colegas de trabalho e a todos aqueles que encontramos em nosso caminho.

Vamos nos desafiar a sair de nossas zonas de conforto, a estender a mão aos necessitados, a lutar pela justiça e pela paz. Vamos nos comprometer a ser discípulos autênticos de Cristo, levando Sua mensagem de amor a todos os lugares onde somos chamados a estar.

Caríssimos, a graça de Deus está disponível para nós neste momento. Ele nos chama a sermos agentes de mudança e esperança em um mundo que muitas vezes parece desolado e desesperançado. Que possamos responder a esse chamado com coragem e determinação, confiando na força que vem Dele.

À medida que encerramos nossa homilia de hoje, peçamos a intercessão de Maria, a Mãe de Jesus, para que ela nos ajude a responder com generosidade e amor ao chamado de Deus em nossas vidas. Que ela nos inspire a sermos verdadeiros discípulos de Seu Filho, seguindo Seus passos e levando Sua luz ao mundo.

Que a graça e a paz de Deus, que excede todo entendimento, estejam com cada um de vocês. E que possamos, juntos, viver a alegria de responder ao chamado de Deus, construindo um mundo de amor, justiça e esperança.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Livraria Católica