Evangelho do dia – sexta-feira, 21 de junho de 2024 – Mateus 6,19-23 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (2Reis 11,1-4.9-18.20)

Leitura do Segundo Livro dos Reis.

Quando Atália, mãe de Ocozias, soube que o filho estava morto, pôs-se a exterminar toda a família real. Mas Josaba, filha do rei Jorão e irmã de Ocozias, raptou o filho dele, Joás, do meio dos filhos do rei, que iriam ser massacrados, e colocou-o, com sua ama, no quarto de dormir. Assim, escondeu-o de Atália e ele não foi morto. E ele ficou seis anos com ela, escondido no templo do Senhor, enquanto Atália reinava no país. No sétimo ano, Joiada mandou chamar os centuriões dos quereteus e da escolta, e introduziu-os consigo no templo do Senhor. Fez com eles um contrato, mandou que prestassem juramento no templo do Senhor e mostrou-lhes o filho do rei. Os centuriões fizeram tudo o que o sacerdote Joiada lhes tinha ordenado. Cada um reuniu seus homens, tanto os que entravam de serviço no sábado, como os que saíam. Vieram para junto do sacerdote Joiada, e este entregou aos centuriões as lanças e os escudos de Davi, que estavam no templo do Senhor. Em seguida, os homens da escolta, de armas na mão, tomaram posição a partir do lado direito do templo até ao esquerdo, entre o altar e o templo, em torno do rei. Então Joiada apresentou o filho do rei, cingiu-o com o diadema e entregou-lhe o documento da Aliança. E proclamaram-no rei, deram-lhe a unção e, batendo palmas, aclamaram: “Viva o rei!” Ouvindo os gritos do povo, Atália veio em direção da multidão no templo do Senhor. Quando viu o rei de pé sobre o estrado, segundo o costume, os chefes e os trombeteiros do rei junto dele, e todo o povo do país exultando de alegria e tocando as trombetas, Atália rasgou suas vestes e bradou: “Traição! Traição!” Então o sacerdote Joiada ordenou aos centuriões que comandavam a tropa: “Levai-a para fora do recinto do templo e, se alguém a seguir, seja morto à espada”. Pois o sacerdote havia dito: “Não seja morta dentro do templo do Senhor”. Agarraram-na e levaram-na aos empurrões pelo caminho da porta dos Cavalos até ao palácio, e ali foi morta. Em seguida, Joiada fez uma aliança entre o Senhor, o rei e o povo, pela qual este se comprometia a ser o povo do Senhor. Fez também uma aliança entre o rei e o povo. Todo o povo do país dirigiu-se depois ao Templo de Baal e demoliu-o. Destruíram totalmente os altares e as imagens e mataram Matã, sacerdote de Baal, diante dos altares. E o sacerdote Joiada pôs guardas na casa do Senhor. Todo o povo do país o festejou e a cidade manteve-se calma.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Mateus 6,19-23)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. Se o teu olho está doente, todo o teu corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Meus queridos irmãos e irmãs em Cristo, ao nos reunirmos hoje para refletir sobre as Escrituras, somos agraciados com passagens que nos desafiam a refletir profundamente sobre onde depositamos nossa confiança e como iluminamos o mundo ao nosso redor. As leituras de hoje nos chamam a considerar o reino de Deus como nosso tesouro verdadeiro e a viver vidas que refletem essa verdade em todas as nossas ações.

Na Primeira Leitura, do livro dos Reis, somos introduzidos a um período tumultuado da história de Israel. Jezabel, mãe do rei Ocozias, tinha morrido e sua filha Atalia assumiu o trono. Atalia foi uma rainha cruel, que tentou exterminar toda a descendência real para consolidar seu poder. No entanto, Joás, filho de Ocozias, foi escondido no templo por sua tia Jeoseba e protegido pelo sacerdote Joiada. Depois de seis anos, Joiada reuniu os capitães da guarda e os levou a fazer um pacto no templo, ungindo Joás como rei. Eles proclamaram Joás rei, destruíram os altares de Baal e trouxeram paz e ordem ao reino.

Essa passagem nos mostra a luta entre o poder maligno e a justiça de Deus. Atalia representa o governo tirânico que se opõe aos caminhos do Senhor, enquanto Joás, ainda uma criança, simboliza a esperança e a promessa de restauração. O templo, onde Joás é escondido, representa a proteção de Deus e a fidelidade de Seu povo.

Essa história pode parecer distante de nossas vidas modernas, mas pensemos nela como um espelho de nossas próprias lutas internas. Atalia pode ser vista como os ídolos e tentações que tentam tomar o controle de nossos corações, afastando-nos dos caminhos de Deus. Mas, assim como Joás foi protegido e preparado no templo, nós também somos chamados a buscar refúgio em Deus, a encontrar nossa força em Sua presença, e a nos preparar para cumprir nossa missão no mundo.

Agora, voltemos nosso olhar para o Evangelho de Mateus, onde Jesus nos oferece uma reflexão poderosa sobre onde devemos depositar nosso verdadeiro tesouro: “Não acumuleis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Acumulai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem corroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.”

Essa passagem nos convida a uma introspecção profunda. Em uma sociedade que frequentemente valoriza o materialismo e a acumulação de bens, Jesus nos chama a um entendimento mais elevado de riqueza. O verdadeiro tesouro não é algo que possamos medir em termos de dinheiro ou posses, mas sim em termos de fé, amor, e justiça.

Vamos usar uma metáfora simples: pensem em um banco. Quando depositamos nosso dinheiro em um banco, confiamos que ele estará seguro e renderá juros ao longo do tempo. Da mesma forma, Jesus nos convida a depositar nosso tesouro espiritual no “banco” celestial. Este tesouro espiritual é composto por atos de bondade, misericórdia, e fidelidade a Deus. Ao fazer isso, garantimos um retorno eterno, um tesouro que nunca será corroído pelo tempo ou perdido por circunstâncias deste mundo.

Jesus continua com uma metáfora sobre a luz: “A lâmpada do corpo é o olho. Se o teu olho é simples, todo o teu corpo será luminoso. Mas se o teu olho é mau, todo o teu corpo estará em trevas. Ora, se a luz que há em ti são trevas, quão grandes serão as trevas!”

Aqui, Jesus nos ensina sobre a importância da nossa perspectiva e intenção. Se nossos olhos estão fixos no bem, se buscamos a luz de Deus em todas as coisas, então nossas vidas refletirão essa luz. Mas se nossos olhos estão obscurecidos pela ganância, pela inveja, ou por desejos egoístas, então nossas vidas serão marcadas pela escuridão. Nossa visão espiritual deve ser clara e focada em Cristo, pois só assim podemos ser verdadeiramente iluminados e iluminar os outros.

Vamos trazer esses ensinamentos para nossa vida cotidiana. No trabalho, na família, e na comunidade, como estamos acumulando nosso tesouro? Estamos investindo nosso tempo e energia em coisas que refletem o amor de Deus? Estamos iluminando nossas vidas e as vidas daqueles ao nosso redor com a luz de Cristo?

Pensemos em um exemplo prático: imaginemos uma mãe ou um pai que trabalha incansavelmente para prover para sua família. Se esse trabalho é feito com o coração voltado para o amor e a provisão genuína, ele se torna um tesouro no céu. Mas se o trabalho se torna uma obsessão, um meio de acumular riquezas materiais à custa de negligenciar a família ou a fé, então esse trabalho pode se tornar um fardo, uma escuridão.

Assim, somos chamados a equilibrar nossos esforços na vida com uma visão clara do que realmente importa. O tesouro celestial é construído através de pequenos atos de amor, de justiça, e de misericórdia. Quando ajudamos um vizinho em necessidade, quando dedicamos tempo para ouvir alguém que está sofrendo, quando fazemos escolhas éticas mesmo que sejam difíceis, estamos acumulando tesouros no céu.

Ao encerrarmos nossa reflexão, vamos pedir a Deus que nos ajude a manter nossos olhos fixos no verdadeiro tesouro. Que possamos buscar primeiro o Seu reino e a Sua justiça, confiando que todas as outras coisas nos serão acrescentadas. Que nossos corações estejam sempre voltados para o amor de Deus e que nossas vidas reflitam essa luz para o mundo.

Senhor, nós Te agradecemos por Tua palavra que nos guia e ilumina nossos caminhos. Ajuda-nos a viver de acordo com Teus ensinamentos, acumulando tesouros no céu e mantendo nossos corações puros e voltados para Ti. Que possamos ser luz no mundo, refletindo Tua graça e amor em todas as nossas ações. Amém.

Saímos daqui hoje com a missão de ser testemunhas do amor de Cristo, de viver vidas que acumulam tesouros no céu e de iluminar o mundo ao nosso redor com a luz de Deus. Que a graça do Senhor esteja sempre conosco e que possamos ser verdadeiros discípulos de Sua palavra. Amém.


Livraria Católica