Evangelho do dia – sexta-feira, 22 de março de 2024 – João 10,31-42 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Jr 20,10-13)

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

Eu ouvi as injúrias de tantos homens e os vi espalhando o medo em redor: “Denunciai-o, denunciemo-lo”. Todos os amigos observam minhas falhas: “Talvez ele cometa um engano e nós poderemos apanhá-lo e desforrar-nos dele”.

Mas o Senhor está ao meu lado, como forte guerreiro; por isso, os que me perseguem cairão vencidos. Por não terem tido êxito, eles se cobrirão de vergonha. Eterna infâmia, que nunca se apaga! Ó Senhor dos exércitos, que provas o homem justo e vês os sentimentos do coração, rogo-te me faças ver tua vingança sobre eles; pois eu te declarei a minha causa. Cantai ao Senhor, louvai ao Senhor, pois ele salvou a vida de um pobre homem das mãos dos maus.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Jo 10,31-42)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. E ele lhes disse: “Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?”

Os judeus responderam: “Não queremos te apedrejar por causa das obras boas, mas por causa de blasfêmia, porque sendo apenas um homem, tu te fazes Deus!” Jesus disse: “Acaso não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’?

Ora, ninguém pode anular a Escritura: se a Lei chama deuses as pessoas às quais se dirigiu a palavra de Deus, por que então me acusais de blasfêmia, quando eu digo que sou Filho de Deus, eu a quem o Pai consagrou e enviou ao mundo? Se não faço as obras do meu Pai, não acrediteis em mim. Mas, se eu as faço, mesmo que não queirais acreditar em mim, acreditai nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai”.

Outra vez procuravam prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles. Jesus passou para o outro lado do Jordão, e foi para o lugar onde, antes, João tinha batizado. E permaneceu ali. Muitos foram ter com ele, e diziam: “João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem, é verdade”. E muitos, ali, acreditaram nele.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, gostaria de começar nossa homilia com uma pergunta: quantas vezes nos sentimos incompreendidos? Quantas vezes nos encontramos em situações onde nossas palavras e ações são mal interpretadas e nossas intenções são distorcidas? Tenho certeza de que cada um de nós já passou por isso em algum momento de nossas vidas. É uma experiência dolorosa, às vezes desanimadora, que nos faz questionar quem somos e qual é o nosso propósito. Mas eu quero lhes dizer que não estão sozinhos. Nossa fé nos ensina que até mesmo os profetas e, acima de tudo, nosso Senhor Jesus Cristo, enfrentaram incompreensões e rejeições.

Nossa primeira leitura, do livro de Jeremias, nos mostra o sofrimento do profeta diante das adversidades que enfrentou. Jeremias era um homem chamado por Deus para transmitir uma mensagem difícil ao povo de Israel. Ele era um mensageiro da verdade divina, mas essa verdade muitas vezes era rejeitada e até mesmo ridicularizada. Jeremias foi perseguido e difamado por causa de sua fidelidade a Deus. No entanto, mesmo em meio à dor e ao desespero, ele encontrou força em Deus e proclamou: “O Senhor está comigo como um guerreiro poderoso” (Jeremias 20,11).

Essas palavras ressoam conosco hoje. Quando somos incompreendidos, quando enfrentamos oposição e rejeição, devemos lembrar que Deus está conosco como um guerreiro poderoso. Ele nos fortalece e nos dá coragem para enfrentar as dificuldades. Em vez de nos rendermos à tristeza e ao desânimo, podemos nos levantar com fé e confiança, sabendo que Deus está ao nosso lado.

E o exemplo máximo dessa fidelidade e coragem é encontrado em nosso Senhor Jesus Cristo, como nos é mostrado no Evangelho de João. Neste trecho, Jesus é confrontado pelos líderes religiosos que o acusam de blasfêmia. Eles não conseguem compreender a verdade da sua mensagem e, em vez disso, o acusam e o ameaçam. Mas Jesus permanece firme e responde corajosamente: “As obras que faço em nome do meu Pai dão testemunho de mim” (João 10,25). Ele não se deixa abalar pelas acusações e continua a proclamar a verdade, mesmo diante da incompreensão e da rejeição.

Queridos irmãos e irmãs, assim como Jeremias e Jesus, também somos chamados a testemunhar a verdade em nossas vidas diárias. Em um mundo onde a verdade muitas vezes é distorcida e a moralidade é relativizada, devemos permanecer firmes em nossos princípios e valores cristãos. Isso pode significar enfrentar oposição e rejeição. Pode significar ir contra a corrente e ser mal compreendido. Mas, como cristãos, somos chamados a ser luz no meio da escuridão, a proclamar a verdade do Evangelho, independentemente das circunstâncias.

Para nos ajudar a compreender essa verdade, gostaria de compartilhar uma história com vocês. Havia um homem chamado André, que era conhecido por sua generosidade. Ele estava sempre disposto a ajudar os outros e a compartilhar o que tinha. Um dia, ele se deparou com um mendigo que estava com fome e sem-teto. André, sem hesitar, lhe deu comida e um lugar para dormir. Mas, em vez de agradecer, o mendigo zombou de André e o acusou de fazer isso apenas para se sentir bem consigo mesmo.

André ficou triste com a reação do mendigo, mas ele não se deixou abalar. Ele continuou a ajudar os necessitados, mesmo quando era mal interpretado. Com o tempo, aqueles que o conheciam começaram a entender a motivação sincera de André e a apreciar sua generosidade desinteressada. Eles se inspiraram em seu exemplo e começaram a ajudar os outros também. André se tornou um farol de esperança em sua comunidade, mostrando que o amor e a generosidade podem fazer a diferença, mesmonos momentos de incompreensão e rejeição.

Essa história nos lembra que nossas ações falam mais alto do que nossas palavras. Quando somos mal compreendidos, podemos encontrar consolo e força na certeza de que Deus vê o nosso coração e conhece as nossas intenções. Ele nos convida a perseverar na prática do bem, mesmo quando somos incompreendidos, confiando que Ele está trabalhando através de nós para realizar Sua vontade.

Queridos irmãos e irmãs, a mensagem central que essas passagens bíblicas nos trazem hoje é que devemos permanecer firmes na fé, mesmo quando enfrentamos incompreensão e rejeição. Devemos confiar em Deus, que está conosco como um guerreiro poderoso, nos fortalecendo e nos dando coragem para enfrentar as dificuldades. Jesus é o exemplo perfeito dessa coragem e fidelidade, e Ele nos convida a segui-Lo em todas as circunstâncias.

Para aplicarmos esses princípios em nossa vida cotidiana, precisamos refletir sobre algumas questões fundamentais. Como estamos respondendo quando nos sentimos incompreendidos? Estamos nos deixando abalar pela rejeição e pela crítica, ou estamos encontrando força em Deus? Estamos perseverando na prática do bem, mesmo quando não recebemos reconhecimento ou gratidão em troca? Estamos dispostos a ser luz no meio da escuridão, mesmo que isso signifique enfrentar oposição?

Agora, gostaria de oferecer algumas orientações práticas para aplicarmos esses princípios em nossa vida diária. Primeiro, devemos buscar o fortalecimento espiritual diariamente, através da oração e da leitura da Palavra de Deus. É através dessa comunhão com Deus que encontramos a força e a coragem para enfrentar as dificuldades e permanecer fiéis à nossa missão.

Segundo, devemos procurar compreender e perdoar aqueles que nos mal interpretam. Nem sempre será fácil, mas o perdão nos liberta do ressentimento e nos permite seguir em frente com amor e compaixão.

Terceiro, devemos buscar a sabedoria e o discernimento para saber quando falar e quando permanecer em silêncio. Nem sempre é necessário responder a cada crítica ou acusação. Às vezes, o nosso exemplo fala mais alto do que nossas palavras.

E finalmente, devemos encontrar apoio e comunhão com outros irmãos e irmãs na fé. A vida cristã não é uma jornada solitária, e precisamos uns dos outros para nos encorajar e nos fortalecer mutuamente.

Queridos irmãos e irmãs, a vida cristã é uma jornada de fidelidade e coragem. Como seguidores de Cristo, enfrentaremos incompreensões e rejeições. Mas, como Jeremias e Jesus nos ensinam, não estamos sozinhos. Deus está conosco como um guerreiro poderoso, nos fortalecendo e nos capacitando para sermos testemunhas fiéis em um mundo que muitas vezes não compreende a verdade.

Que possamos encontrar consolo e força na certeza de que Deus está conosco, mesmo nos momentos de incompreensão. Que possamos perseverar na prática do bem, mesmo quando não somos compreendidos. E que a graça, o amor e a esperança divinos estejam sempre presentes em nossas vidas, capacitando-nos a viver de acordo com os ensinamentos das Escrituras.

Que assim seja. Amém.


Livraria Católica