Evangelho do dia – sexta-feira, 31 de maio de 2024 – Lucas 1,39-56 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Sofonias 3,14-18)

Leitura da Profecia de Sofonias.

Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. Naquele dia, se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, como nos dias de Festa. Afastarei de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Lucas 1,39-56)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu”.

Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem. Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, que alegria estarmos reunidos hoje para meditar nas maravilhosas leituras que a liturgia nos oferece. A Palavra de Deus nos fala diretamente ao coração, trazendo-nos consolo, esperança e um convite à transformação. As leituras de hoje, tiradas do profeta Sofonias e do Evangelho de Lucas, nos conduzem a uma profunda compreensão da alegria e da salvação que Deus nos oferece.

A primeira leitura, do livro de Sofonias, é um cântico de júbilo. O profeta nos convida a exultar de alegria porque o Senhor, nosso Deus, está no meio de nós. “Canta de alegria, filha de Sião; rejubila, Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, filha de Jerusalém!” (Sofonias 3,14). Sofonias anuncia a chegada de um tempo de paz e restauração, um tempo em que Deus removerá os juízos contra Seu povo e estará presente entre eles como um Rei vitorioso. Essa mensagem é um bálsamo para um povo que enfrentava a opressão e a incerteza.

Vamos imaginar um cenário que nos ajude a entender a profundidade dessa mensagem. Pensemos em uma família que sofreu por muitos anos com a guerra, a fome e a desesperança. Certo dia, recebem a notícia de que a paz foi restaurada e que um novo líder justo e misericordioso tomará conta deles. A alegria que essa família sente ao saber que seus sofrimentos chegaram ao fim é imensa, quase indescritível. É essa mesma alegria que Sofonias está proclamando para Israel – uma alegria que não é apenas emocional, mas transformadora.

Deus promete estar no meio de Seu povo, trazendo consigo salvação e restauração. “O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, como poderoso salvador. Ele te exultará de alegria, renovar-te-á com o Seu amor, exultará por tua causa entre louvores” (Sofonias 3,17). Essa promessa é um convite para confiarmos em Deus, mesmo nas situações mais difíceis de nossas vidas. Ele está conosco, Ele nos ama e nos salva. O amor de Deus é um amor que renova, que cura, que transforma.

Agora, movemo-nos para o Evangelho de Lucas, que nos apresenta o encontro de Maria com Isabel. Este encontro é uma das cenas mais belas e significativas do Novo Testamento. Maria, após receber a notícia do anjo Gabriel de que seria a mãe do Salvador, corre para a região montanhosa para visitar sua prima Isabel, que também está milagrosamente grávida. Quando Maria chega e saúda Isabel, a criança no ventre de Isabel salta de alegria e Isabel, cheia do Espírito Santo, exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?” (Lucas 1,42-43).

Este momento é carregado de alegria e reconhecimento da presença divina. O encontro entre Maria e Isabel é uma celebração da obra maravilhosa de Deus em suas vidas. Maria, cheia de graça, canta então o Magnificat, um cântico de louvor e agradecimento a Deus. “Minha alma engrandece ao Senhor, e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de Sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lucas 1,46-48).

Maria nos mostra a atitude perfeita de resposta ao chamado de Deus: humildade, alegria e total confiança. O cântico de Maria é uma profunda expressão de sua fé e de seu entendimento da ação de Deus na história da salvação. Ela reconhece que Deus derruba os poderosos e exalta os humildes, que sacia os famintos e despede os ricos de mãos vazias. Maria não apenas aceita a missão que lhe foi dada, mas também se alegra profundamente em participar do plano divino.

Essa leitura nos convida a refletir sobre a alegria verdadeira que vem de Deus. Muitas vezes, buscamos alegria em coisas passageiras – sucesso, bens materiais, reconhecimento. Mas a verdadeira alegria vem do encontro com Deus, do reconhecimento de Sua ação em nossas vidas e da aceitação de Seu amor transformador. Maria e Isabel são exemplos vivos dessa alegria que transcende circunstâncias humanas e se enraíza na certeza da presença e da promessa de Deus.

Vamos considerar um exemplo prático para ilustrar essa verdade. Imagine alguém que, em meio a dificuldades financeiras e problemas familiares, encontra força e consolo na oração e na fé em Deus. Essa pessoa, apesar dos problemas, mantém uma alegria interior que surpreende a todos ao seu redor. Não é uma alegria superficial, mas uma alegria profunda que nasce da confiança em Deus e da certeza de Seu amor.

Como podemos aplicar essas leituras em nossas vidas hoje? Primeiramente, somos convidados a reconhecer a presença de Deus em nosso meio. Em momentos de dificuldade, lembrar que Deus está conosco, como um poderoso salvador, nos dá força e esperança. Segundo, somos chamados a responder com a mesma humildade e alegria de Maria. Ao reconhecer as bênçãos de Deus em nossas vidas, somos chamados a cantar nosso próprio Magnificat, agradecendo e louvando a Deus por Sua bondade e misericórdia.

Finalmente, estas leituras nos desafiam a sermos portadores de alegria. Assim como Maria levou a alegria da presença de Cristo a Isabel, somos chamados a levar a alegria do Evangelho aos outros. Isso pode ser feito de várias maneiras – através de um sorriso, de uma palavra de encorajamento, de um gesto de bondade. Ao fazermos isso, espalhamos a luz e o amor de Deus no mundo.

Vamos agora ter um momento de silêncio, refletindo sobre como podemos viver essa alegria em nossas vidas diárias. Fechemos os olhos e peçamos ao Espírito Santo que nos encha de Sua alegria, que nos transforme e nos faça instrumentos de Sua paz e amor.

Senhor, nós Te agradecemos pelas lições de hoje. Ajuda-nos a reconhecer Tua presença em nosso meio, a responder com alegria e humildade ao Teu chamado e a ser portadores de Tua alegria ao mundo. Que possamos viver como Maria, com um coração cheio de gratidão e louvor. Amém.

Meus irmãos e irmãs, ao sairmos daqui hoje, levemos conosco a alegria e a esperança que vêm de Deus. Que possamos ser luz no mundo, refletindo o amor de Cristo em todas as nossas ações. Que a graça de Deus nos acompanhe e que possamos ser instrumentos de Sua paz e amor. Lembrem-se, somos chamados a ser alegria e luz – vamos brilhar e espalhar o amor de Deus onde quer que formos. Amém.


Livraria Católica