Evangelho do dia – terça-feira, 21 de maio de 2024 – Marcos 9,30-37 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (Tiago 4,1-10)

Leitura da Carta de São Tiago.

Caríssimos, de onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres.

Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que pretende ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus. Ou julgais ser em vão que a Escritura diz: “Com ciúme anela o espírito que nos habita”? Mas ele nos dá uma graça maior. Por isso, a Escritura diz: “Deus resiste aos soberbos, mas concede a graça aos humildes”. Obedecei pois a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios. Ficai tristes, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria em desalento. Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Marcos 9,30-37)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”. Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras
e tinham medo de perguntar.

Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “O que discutíeis pelo caminho?” Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior. Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: “Quem acolher em meu nome uma destas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Imaginem por um momento que vocês estão em um grande jardim, cheio de flores de todas as cores e fragrâncias. No centro desse jardim, há uma fonte de água límpida, que simboliza a paz e a serenidade que todos nós desejamos em nossas vidas. Agora, pensem nas ervas daninhas que crescem nesse jardim, representando os conflitos, invejas e orgulhos que tentam sufocar a beleza e a tranquilidade que Deus deseja para nós.

Hoje, nossas leituras nos convidam a refletir sobre essas ervas daninhas que surgem em nossas vidas e como podemos, com a ajuda de Deus, cultivar um jardim de paz e humildade.

Na primeira leitura, Tiago nos questiona diretamente: “De onde vêm as guerras e contendas entre vós?” Ele responde que elas vêm das paixões que guerreiam dentro de nós. Pensem nos momentos de conflito em suas vidas: quantas vezes esses momentos surgem da inveja, do desejo desordenado de possuir o que não temos, ou do orgulho ferido?

Tiago nos chama a uma atitude de humildade diante de Deus. Ele nos diz: “Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós.” Este é um convite à transformação interior, a reconhecer nossas fraquezas e a buscar em Deus a força para superá-las. Tiago enfatiza a importância de nos humilharmos diante do Senhor, pois “ele vos exaltará.”

No Evangelho, vemos Jesus caminhando com seus discípulos, e Ele lhes fala sobre sua paixão e ressurreição. No entanto, os discípulos estão distraídos, discutindo entre si sobre quem seria o maior. Ao perceber isso, Jesus lhes ensina uma lição poderosa: “Se alguém quer ser o primeiro, seja o último de todos e o servo de todos.”

Para ilustrar seu ponto, Jesus coloca uma criança no meio deles e diz: “Quem acolher uma destas crianças em meu nome, a mim me acolhe.” A criança, na cultura daquela época, representava o ser sem poder, sem status, dependente. Jesus está nos chamando a acolher e servir aos outros com a mesma simplicidade e humildade de uma criança.

Voltemos ao nosso jardim. As ervas daninhas que Tiago menciona são como os desejos desordenados e o orgulho que enraízam em nossos corações. Eles sufocam as flores da paz, do amor e da humildade. Precisamos arrancar essas ervas daninhas, e isso começa com a reflexão e a oração. Tiago nos diz: “Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” É um chamado à vigilância espiritual e à luta contra as tentações que nos afastam de Deus.

Jesus, no Evangelho, nos mostra como cultivar um coração puro: sendo servos. Quando pensamos em grandeza, muitas vezes a associamos ao poder e ao prestígio. Mas Jesus inverte essa lógica. A verdadeira grandeza está em servir, em colocar as necessidades dos outros acima das nossas.

Pensem em uma vela acesa. Ela ilumina e dá calor, mas para isso, ela se consome. Nós somos chamados a ser luz no mundo, a iluminar e aquecer a vida dos outros, mesmo que isso signifique nos sacrificarmos. Assim como a vela, nosso serviço aos outros é um reflexo do amor de Cristo em nós.

Gostaria de compartilhar uma história real para ilustrar essa mensagem. Madre Teresa de Calcutá dedicou sua vida aos pobres e doentes. Ela encontrou grandeza não no poder, mas na humildade de servir aos mais necessitados. Em uma ocasião, ao ser questionada sobre como conseguia realizar seu trabalho em meio a tanta miséria, ela respondeu: “Não sou capaz de grandes coisas, mas posso fazer pequenas coisas com grande amor.”

Essa pequena mulher, com seu coração gigante, demonstrou que a verdadeira grandeza está na simplicidade e no serviço. Ela acolhia cada pessoa como se estivesse acolhendo o próprio Cristo, vivendo plenamente o ensinamento de Jesus: “Quem acolher uma destas crianças em meu nome, a mim me acolhe.”

Agora, convido cada um de vocês a refletir: quais são as ervas daninhas em seu jardim espiritual? Quais desejos desordenados, invejas ou orgulhos estão sufocando as flores da paz e do amor em suas vidas? Como vocês podem aproximar-se de Deus e pedir Sua ajuda para arrancar essas ervas daninhas?

E mais importante, como vocês podem servir aos outros com humildade e simplicidade? Talvez seja ajudando um vizinho necessitado, escutando alguém que está passando por dificuldades, ou simplesmente sendo mais pacientes e compreensivos com suas famílias.

Vamos fazer uma pausa agora. Fechem os olhos e peçam a Deus que revele a vocês as áreas de suas vidas onde precisam de Sua ajuda. Confiem que Ele está ouvindo e pronto para ajudá-los a transformar seus corações.

Irmãos e irmãs, nosso chamado é claro: cultivar um coração humilde e ser um servo para os outros. Quando seguimos o exemplo de Cristo, nos tornamos instrumentos de Sua paz no mundo. Deixemos que a luz de Cristo brilhe através de nós, iluminando e aquecendo a vida de todos ao nosso redor.

Lembrem-se das palavras de Tiago: “Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós.” E das palavras de Jesus: “Quem acolher uma destas crianças em meu nome, a mim me acolhe.” Vamos viver essas verdades em nossas vidas diárias, tornando o amor de Deus visível através de nossas ações.

Que a graça, o amor e a esperança divinos estejam com todos vocês. Que possamos sair daqui hoje com corações renovados e um compromisso firme de viver em paz e humildade.

Amém.


Livraria Católica