Evangelho do dia – terça-feira, 28 de maio de 2024 – Marcos 10,28-31 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (1Pedro 1,10-16)

Leitura da Primeira Carta de São Pedro.

Caríssimos, Esta salvação tem sido objeto das investigações e meditações dos profetas. Eles profetizaram a respeito da graça que vos estava destinada. Procuraram saber a que época e a que circunstâncias se referia o Espírito de Cristo, que estava neles, ao anunciar com antecedência os sofrimentos de Cristo e a glória consequente. Foi-lhes revelado que, não para si mesmos, mas para vós, estavam ministrando estas coisas, que agora são anunciadas a vós por aqueles que vos pregam o evangelho em virtude do Espírito Santo, enviado do céu; revelações essas, que até os anjos desejam contemplar! Por isso, aprontai a vossa mente; sede sóbrios e colocai toda a vossa esperança na graça que vos será oferecida na revelação de Jesus Cristo. Como filhos obedientes, não modeleis a vossa vida de acordo com as paixões de antigamente, do tempo da vossa ignorância. Antes, como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos, também vós, em todo o vosso proceder. Pois está na Escritura: “Sede santos, porque eu sou santo”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Marcos 10,28-31)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, começou Pedro a dizer a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna. Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, vamos mergulhar profundamente nas leituras que nos foram apresentadas, buscando nelas a sabedoria e a inspiração para nossas vidas. As passagens da Primeira Carta de Pedro e do Evangelho de Marcos nos oferecem uma rica tapeçaria de ensinamentos sobre fé, sacrifício e a promessa da recompensa divina.

A Primeira Leitura, retirada da Primeira Carta de Pedro, nos chama a uma reflexão profunda sobre o mistério da salvação. Pedro nos fala sobre a dedicação dos profetas, que investigaram e procuraram saber sobre essa graça destinada a nós. Eles profetizaram sobre os sofrimentos que Cristo haveria de suportar e as glórias que se seguiriam. E é impressionante pensar que essas coisas foram reveladas não para eles mesmos, mas para nós. É como se estivéssemos recebendo um tesouro que foi cuidadosamente preparado e guardado por gerações.

Essa passagem nos lembra do valor incalculável da nossa fé. Pedro nos exorta a viver de maneira santa, “segundo aquele que vos chamou”, porque Deus é santo. Ele nos chama a deixar para trás a antiga maneira de viver e a nos conformar aos padrões divinos. A santidade é uma resposta à graça que nos foi revelada, e é um chamado a viver de acordo com a esperança que nos foi dada.

Agora, vamos refletir sobre o Evangelho de Marcos, onde encontramos Pedro novamente, desta vez em um diálogo com Jesus. Pedro diz: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos.” É uma declaração poderosa, mostrando a profundidade do compromisso dos discípulos. Eles deixaram suas famílias, suas posses e suas vidas antigas para seguir a Cristo.

Jesus responde a Pedro com uma promessa que ecoa até nós hoje: “Em verdade vos digo, ninguém há que tenha deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras por causa de mim e do Evangelho, que não receba cem vezes mais agora, neste tempo, casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras, com perseguições, e no tempo vindouro, a vida eterna.”

Este é um lembrete da generosidade de Deus. Aqueles que sacrificam por causa de Cristo não apenas recebem uma recompensa futura, mas também são abençoados no presente, embora com desafios. A vida cristã é marcada por bênçãos e perseguições. A promessa de Jesus é dupla: bênçãos nesta vida e a vida eterna. Ele nos garante que nada do que deixamos por amor a Ele ficará sem recompensa.

Pensemos na metáfora de um agricultor. Quando ele planta uma semente, ele não apenas espera que ela cresça, mas ele confia que, com o cuidado adequado, ela dará uma colheita abundante. Assim também é com nossas vidas de fé. Cada sacrifício, cada ato de amor e de serviço é uma semente plantada no Reino de Deus. E Deus, o grande Agricultor, promete uma colheita abundante – uma recompensa que excede nossas expectativas.

A leitura da Primeira Carta de Pedro nos chama à santidade, a nos afastar das antigas formas de viver e a abraçar a vida nova em Cristo. Isso pode significar renunciar a comportamentos e atitudes que não se alinham com os ensinamentos de Cristo. Pode significar tomar decisões difíceis que nos afastem de influências negativas e nos aproximem mais de Deus.

No Evangelho, Jesus nos assegura que essas renúncias não são em vão. O que quer que deixemos por amor a Ele será recompensado de maneira abundante. Pode ser difícil compreender como isso se manifesta em nossas vidas cotidianas, mas podemos ver isso em pequenas bênçãos diárias, em momentos de paz interior e em relações restauradas.

Vamos considerar a história de um missionário que deixou tudo para servir em uma terra distante. Ele deixou para trás uma carreira promissora, família e amigos, tudo para seguir o chamado de Deus. No campo missionário, ele enfrentou muitas dificuldades – doenças, perseguições e isolamento. Mas, ao mesmo tempo, ele experimentou uma profunda alegria e uma paz que só Deus pode dar. Ele viu vidas transformadas pelo Evangelho, viu comunidades florescerem em fé, e, através de tudo isso, ele sentiu a mão de Deus guiando e sustentando-o. Sua história é um testemunho vivo da promessa de Jesus: o que deixamos por amor a Ele nos será recompensado cem vezes mais.

E assim é com cada um de nós. Talvez não sejamos chamados a deixar nossas casas e ir para terras distantes, mas somos chamados a sacrificar de outras maneiras – nosso tempo, nossos talentos, nossos confortos. Cada vez que escolhemos seguir a Cristo, apesar do custo, estamos plantando sementes de fé que Deus fará crescer.

Enquanto refletimos sobre estas leituras, somos chamados a examinar nossas próprias vidas. Quais são as coisas que nos seguram, que precisamos deixar para seguir mais de perto a Cristo? Pode ser um hábito, um relacionamento, ou uma posse material. Somos desafiados a confiar na promessa de Jesus, a crer que qualquer sacrifício feito por amor a Ele será recompensado.

Vamos agora ter um momento de silêncio. Fechemos os olhos e peçamos a Deus que nos revele as áreas de nossas vidas que precisam ser entregues a Ele. Que o Espírito Santo nos dê coragem para fazer os sacrifícios necessários e confiança para crer na promessa de uma recompensa abundante.

Senhor, nós Te agradecemos pelas lições de hoje. Ajuda-nos a viver em santidade, a seguir-Te de todo coração, e a confiar em Tuas promessas. Dá-nos a coragem de fazer os sacrifícios necessários e a fé para acreditar que Tu recompensas abundantemente aqueles que Te seguem. Amém.

Meus irmãos e irmãs, ao sairmos daqui hoje, lembremo-nos de que somos chamados a viver vidas santas, a sacrificar por amor a Cristo e a confiar em Suas promessas. Que possamos ser testemunhas vivas da generosidade e da fidelidade de Deus. Que nossa fé inspire outros a também seguir a Cristo e a experimentar a alegria e a paz que só Ele pode dar. Amém.


Livraria Católica