Evangelho do dia – terça-feira, 9 de abril de 2024 – João 3,7b-15 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (At 4,32-37)

Leitura dos Atos dos Apóstolos

A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava como próprias as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum.

Com grandes sinais de poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E os fiéis eram estimados por todos. Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas, vendiam-nas, levavam o dinheiro, e o colocavam aos pés dos apóstolos. Depois, era distribuído conforme a necessidade de cada um.

José, chamado pelos apóstolos de Barnabé, que significa filho da consolação, levita e natural de Chipre, possuía um campo. Vendeu e foi depositar o dinheiro aos pés dos apóstolos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.



Evangelho (Jo 3,7b-15)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: “Vós deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.

Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? Em verdade, em verdade, te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Refletindo a Palavra de Deus

Meus amados irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, quero levá-los a uma jornada espiritual que conecta as verdades eternas das Escrituras com nossas experiências diárias. Quero levá-los a um encontro transformador com a Palavra de Deus, que nos desafia a viver de acordo com Sua vontade e nos enche de esperança e propósito.

Imagine por um momento uma comunidade em que todos os crentes vivem em profunda comunhão uns com os outros. Uma comunidade em que não há divisões, inveja ou egoísmo. Nessa comunidade, todos compartilham seus bens e recursos, cuidando uns dos outros com amor sincero. Essa comunidade é um reflexo tangível do reino de Deus na terra.

Essa visão de comunidade é apresentada na primeira leitura dos Atos dos Apóstolos. O texto nos fala de como os primeiros cristãos viviam em uma profunda unidade de corações e mentes. Eles compartilhavam tudo o que tinham, ninguém passava necessidade, e havia uma alegria vibrante que fluía entre eles. Essa comunhão era tão poderosa que ninguém considerava sua propriedade como sendo apenas sua, mas como um bem comum a ser compartilhado.

Essa passagem nos desafia a refletir sobre como vivemos em comunidade hoje. Como cristãos, somos chamados a ser uma família unida em Cristo, a cuidar uns dos outros e a compartilhar nossos recursos com generosidade. Essa comunhão não se limita apenas à nossa igreja local, mas se estende a toda a família de Deus ao redor do mundo.

Imagine como seria se vivêssemos essa comunhão em nossas próprias vidas. Se olhássemos para as necessidades dos outros antes de pensar em nós mesmos. Se nos dispuséssemos a compartilhar nossos talentos, tempo e recursos para ajudar aqueles que estão passando por dificuldades. Essa é a essência do amor cristão em ação.

Queridos irmãos e irmãs, o Evangelho de hoje nos traz uma mensagem profunda sobre a salvação que Deus nos oferece. Jesus diz a Nicodemos: “Importa que nasçais do alto”. Ele está nos convidando a nascer de novo, a experimentar uma transformação interior que só é possível pelo poder do Espírito Santo.

Essa imagem do novo nascimento nos lembra que, como cristãos, somos chamados a abandonar nossa antiga maneira de viver e abraçar uma vida nova em Cristo. Devemos renunciar ao pecado, ao egoísmo e a tudo o que nos afasta de Deus. Devemos permitir que o Espírito Santo nos purifique, nos renove e nos capacite a viver uma vida de santidade.

No entanto, a mensagem de Jesus não termina aí. Ele continua dizendo: “Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nele crer tenha a vida eterna”.

Essa referência à história de Moisés no deserto nos leva a uma imagem poderosa de redenção. No deserto, o povo de Israel estava sendo atacado por serpentes venenosas, e muitos estavam morrendo. Mas Deus deu a Moisés instruções para fazer uma serpente de bronze e levantá-la em um poste. Todos os que olhassem para a serpente de bronze seriam curados do veneno e viveriam.

Essa história é uma prefiguração da obra redentora de Jesus na cruz. Assim como a serpente de bronze foi levantada para trazer cura e vida ao povo, Jesus foi levantado na cruz para trazer salvação e vida eterna a todos que creem Nele. Ele é o remédio para o veneno do pecado que nos aflige.

Queridos irmãos e irmãs, a mensagem central dessas passagens bíblicas é clara: somos chamados a viver em comunhão uns com os outros, a compartilhar nossos recursos e a cuidar uns dos outros com amor sincero. Somos convidados a nascer de novo pelo poder do Espírito Santo, a abandonar nossa antiga maneirade viver e abraçar uma vida nova em Cristo. E somos lembrados de que a salvação está disponível para todos que olham para Jesus, o Filho do Homem levantado na cruz.

Essas verdades espirituais podem parecer abstratas e distantes em nossas vidas cotidianas. Mas permitam-me trazer exemplos concretos para ilustrar seu significado e aplicação prática.

Imagine uma família que, ao invés de buscar apenas seus interesses individuais, se reúne regularmente para discutir as necessidades uns dos outros e como podem ajudar uns aos outros. Eles compartilham suas refeições, compartilham suas dificuldades e oram uns pelos outros. Essa família se torna uma comunidade de amor e apoio mútuo, refletindo a comunhão dos primeiros cristãos.

Imagine um jovem que, ao invés de se entregar aos prazeres fugazes do mundo, decide se entregar a Cristo e buscar a transformação interior. Ele se afasta de más influências, busca a santidade e permite que o Espírito Santo o guie em todas as áreas de sua vida. Esse jovem experimenta uma vida nova em Cristo, cheia de propósito e significado.

Imagine uma pessoa que, em vez de se preocupar apenas com seu próprio bem-estar, se envolve em projetos de ajuda humanitária, dedicando seu tempo e recursos para ajudar os necessitados. Essa pessoa se torna um instrumento de amor e compaixão, refletindo o coração generoso de Deus.

Esses exemplos nos mostram que as verdades espirituais não são apenas conceitos abstratos, mas princípios vivos que podem transformar nossas vidas e comunidades. Quando nos comprometemos a viver de acordo com esses princípios, nossa fé se torna tangível e nosso testemunho se torna poderoso.

Mas como podemos aplicar esses princípios em nossa vida diária? Aqui estão algumas orientações práticas:

Primeiro, busque oportunidades para se envolver em sua comunidade cristã. Participe de grupos de estudo bíblico, ministérios de serviço e momentos de oração em conjunto. Esteja disposto a compartilhar seus dons e recursos com os outros.

Segundo, reflita sobre sua própria vida e identifique áreas em que você precisa nascer de novo. Peça ao Espírito Santo que o purifique, renove e capacite a viver uma vida de santidade. Abandone os padrões do mundo e abrace a vontade de Deus para sua vida.

Terceiro, esteja atento às necessidades ao seu redor. Esteja disposto a sacrificar seu tempo, talento e recursos para ajudar os outros. Seja um agente de amor e compaixão em seu ambiente familiar, no trabalho, na comunidade e além.

Queridos irmãos e irmãs, à medida que concluímos esta homilia, quero lembrá-los da graça, do amor e da esperança divinos que nos são oferecidos. Deus nos convida a vivermos em comunhão uns com os outros, a nascermos de novo pelo poder do Espírito Santo e a olharmos para Jesus, o Filho do Homem levantado na cruz, como o único caminho para a salvação.

Que estas palavras permaneçam em nossos corações e nos motivem a vivermos de acordo com os ensinamentos das Escrituras. Que possamos ser instrumentos de transformação em nossas comunidades, espalhando o amor de Cristo por onde passarmos.

Oremos juntos: Querido Deus, obrigado por nos chamar para sermos parte de Sua família e vivermos em comunhão uns com os outros. Dê-nos a graça de nascer de novo pelo poder do Espírito Santo e de olhar para Jesus como nosso Salvador e Senhor. Capacite-nos a vivermos de acordo com os princípios das Escrituras em nossa vida cotidiana. Que o Seu amor e a Sua graça sejam evidentes em tudo o que fazemos. Em nome de Jesus, amém.

Que Deus abençoe a todos vocês. Amém!


Livraria Católica