518. Como realizar a justiça e a solidariedade entre as nações?

No plano internacional, todas as nações e instituições devem actuar na solidariedade e na subsidiariedade, com vista a eliminar, ou pelo menos reduzir, a miséria, a desigualdade dos recursos e dos meios económicos, as injustiças económicas e sociais, a exploração das pessoas, a acumulação da dívida dos países pobres, os mecanismos perversos que criam obstáculos ao progresso dos países menos desenvolvidos.


Veja este tema no Catecismo

Parágrafo 2437

2437.No plano internacional, a desigualdade dos recursos e meios económicos é tal que cava entre as nações um verdadeiro «fosso» (184) Dum lado, estão os que detêm e desenvolvem os meios do crescimento; do outro, os que acumulam dívidas.

Parágrafo 2438

2438.Diversas causas, de natureza religiosa, política, económica e financeira, conferem hoje «à questão social uma dimensão mundial» (185). A solidariedade é necessária entre nações cujas políticas já são interdependentes. E é ainda mais indispensável quando se trata de travar «mecanismos perversos» que contrariam o desenvolvimento dos países menos avançados(186). Os sistemas financeiros abusivos, quando não usurários (187), as relações comerciais iníquas entre as nações, a corrida aos armamentos, têmde ser substituídos por um esforço comum para mobilizar os recursosemordem a objectivos de desenvolvimento moral, cultural e económico, predefinindo as prioridades e as escalas de valores» (188).

Parágrafo 2439

2439. Asnações ricastêm uma grave responsabilidade moral em relação aquelasque não podem, por si mesmas, assegurar os meios do seu desenvolvimento ou disso foram impedidas por trágicos acontecimentos históricos. É um dever de solidariedade e caridade; é também uma obrigaçãode justiça, se o bem-estar das nações ricas provier de recursos que nãoforam equitativamente pagos.

Parágrafo 2440

2440.Aajuda directaconstitui uma resposta apropriada a necessidades imediatas, extraordinárias, causadas, por exemplo, por catástrofes naturais, epidemias, etc.. Mas não basta para reparar os graves prejuízos resultantes desituações de indigência nem para prover, de modo durável, às necessidades. É necessário tambémreformar as instituiçõeseconómicas e financeiras internacionais, para que melhor promovam relações equitativas com os países menos avançados (189). É necessário apoiar o esforço dos países pobres, trabalhando pelo seu crescimento e pela sua libertação (190). Esta doutrina deve ser aplicada de modo muito particular no domínio do trabalho agrícola. Os camponeses, sobretudo no terceiro mundo, formam a massa preponderante dos pobres.

Parágrafo 2441

2441.Aumentar o sentido de Deus e o conhecimento de si mesmo está na base de todoo desenvolvimento completo da sociedade humana.Este multiplica os bens materiais e põe-nos ao serviço da pessoa e da sua liberdade. Diminui a miséria e a exploração económicas. Faz crescer o respeito pelas identidades culturais e a abertura à transcendência (191).


Acesse nossos estudos biblicos:

A intercessão de Moisés: Como a intercessão de Moisés por seu povo nos ensina sobre a oração e a misericórdia de Deus? (Êxodo 32-34)

Como o retorno de Cristo pode ser um consolo em meio à dor, de acordo com 1 Tessalonicenses 4:13-18?

A busca pelo amor verdadeiro é um tema presente na Bíblia. O que podemos aprender sobre esse assunto a partir do livro de Cânticos?

Qual é o significado de Judas 1:4, em que se fala sobre a condenação daqueles que torcem a graça de Deus?

Qual é a importância do propósito e da missão de Ester em Ester 4:14?

Quais são as visões de Daniel sobre a estátua de ouro e as quatro bestas?

A lei do perdão: O que a lei do perdão no Levítico nos ensina sobre a misericórdia e a justiça de Deus? (Levítico 19:17-18)


Livraria Católica