573. Quais as objecções à oração?

Para lá das formas erróneas de conceber a oração, muitos pensam que não têm tempo para rezar ou então que seja inútil. Os que rezam podem desanimar perante as dificuldades e os insucessos aparentes. Para vencer estes obstáculos são necessárias a humildade, a confiança e a perseverança.


Veja este tema no Catecismo

Parágrafo 2726

2726.No combate da oração, temos de enfrentar, em nós e à nossa volta,concepções erróneas da oração.Alguns vêem nela uma simples operação psicológica; outros, um esforço de concentração para chegar ao vazio mental; outros ainda, reduzem-na a atitudes e palavras rituais. No inconsciente de muitos cristãos, rezar é uma ocupação incompatível com tudo o que têm de fazer: não têm tempo. Os que procuram a Deus na oração desanimam depressa, porque não sabem que a oração também vem do Espírito Santo e não somente de si próprios.

Parágrafo 2727

2727.Temos de enfrentar também certasmentalidades«deste mundo» que nos invadem, se não estivermos atentos. Por exemplo: só é verdadeiro o que se pode verificar pela razão e pela ciência (mas orar é um mistério que ultrapassa a nossa consciência e o nosso inconsciente); os valores são a produção e o rendimento (mas a oração é improdutiva, logo inútil); o sensualismo e o conforto são os critérios do verdadeiro, do bem e do belo (mas a oração, «amor da beleza» –philocália –deixa-se encantar pela glória do Deus vivo e verdadeiro); em reacção ao activismo, temos a oração apresentada como fuga do mundo (mas a oração cristã não é uma saída da história nem um divórcio da vida).

Parágrafo 2728

2728.Finalmente, o nosso combate tem de enfrentar aquilo que sentimos como sendoos nossos fracassos na oração:desânimo na aridez, tristeza por não dar tudo ao Senhor, porque temos «muitos bens» decepção por não sermos atendidos segundo a nossa própria vontade, o nosso orgulho ferido que se endurece perante a nossa indignidade de pecadores, alergia à gratuitidade da oração, etc... A conclusão é sempre a mesma: de que serve orar? Para vencer tais obstáculos, é preciso combater com humildade, confiança e perseverança.

Parágrafo 2752

2752.A oração pressupõe esforço e luta contra nós mesmos e contra as ciladas do Tentador. O combate da oração é inseparável do «combate espiritual» necessário para agir habitualmente segundo o Espírito de Cristo: ora-se como se vive, porque se vive como se ora.

Parágrafo 2753

2753.No combate da oração, devemos enfrentar concepções erróneas, diversas correntes de mentalidades e a experiência dos nossos fracassos. A estas tentações, que lançam a dúvida sobre a utilidade ou até mesmo a possibilidade da oração, convém responder com humildade, confiança e perseverança.


Acesse nossos estudos biblicos:

O que representa a imagem do rio da vida em Ezequiel (Ezequiel 47)?

Qual é a importância da comunidade em meio ao sofrimento, de acordo com Jó 42:10-11?

Quem são os Quatro Cavaleiros do Apocalipse e qual é o seu significado?

Qual é a importância da sabedoria na escolha do cônjuge e no casamento de acordo com Provérbios 18:22?

O que Jesus ensinou sobre o amor ao próximo? (Mateus 22:39)

O que podemos aprender com a soberba de Edom descrita em Abdias 1:3?

Compreendendo a ira de Deus – Habacuque 1:2-4


Livraria Católica