447. Como respeitar a santidade do Nome de Deus?

Invocando, bendizendo, louvando e glorificando o santo Nome de Deus. Deve pois ser evitado o abuso de invocar o Nome de Deus para justificar um crime, e ainda todo o uso inconveniente do seu Nome, como ablasfémia, que por sua natureza é um pecado grave, asimprecaçõese ainfidelidadeàs promessas feitas em Nome de Deus.


Veja este tema no Catecismo

Parágrafo 2142

ARTIGO 2

O SEGUNDO MANDAMENTO

«Não invocarás em vão o nome do Senhor teu Deus»(Ex20, 7) (67) «Foi dito aos antigos: "Não faltarás ao que tiveres jurado" [...]. Pois Eu digo-vos que não jureis, em caso algum» (Mt5, 33-34).
2142.O segundo mandamentomanda respeitar o nome do Senhor.Depende, como o primeiro mandamento, da virtude da religião, e regula, dum modo mais particular, o nosso uso da palavra nas coisas santas.

Parágrafo 2143

2143.Entre todas as palavras da Revelação, há uma, singular, que é a revelação do nome de Deus. Deus confia o seu nome aos que crêem n'Ele; revela-se-lhes no seu mistério pessoal. O dom do nome é da ordem da confidência e da intimidade. «O nome do Senhor é Santo»; por isso, o homem não pode abusar dele. Deve guardá-lo na memória, num silêncio de adoração amorosa (68). E não o empregará nas suas próprias palavras senão para o bendizer, louvar e glorificar (69).

Parágrafo 2144

2144.A deferência para com o seu nome exprime a que é devida ao mistério do próprio Deus e a toda a realidade sagrada que ele evoca. Osentido do sagradoderiva da virtude da religião:

«Os sentimentos de temor e de sagrado serão ou não sentimentos cristãos? [...] Ninguém pode razoavelmente pôr isso em dúvida. São os sentimentos que nós teríamos, e num grau intenso, se tivéssemos a visão do Deus soberano. São os sentimentos que nós teríamos, se tivéssemos consciência da sua presença. Ora, na medida em que acreditamos que Ele está presente, devemos ter tais sentimentos. Não os ter é não estar conscientes desta realidade, é não crer que Ele está presente» (70).

Parágrafo 2145

2145.O fiel deve dar testemunho do nome do Senhor, confessando a sua fé sem ceder ao medo (71). A pregação e a catequese devem estar compenetrados de adoração e respeito pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Parágrafo 2146

2146.O segundo mandamentoproíbe o abuso do nome de Deus,isto é, todo o uso inconveniente do nome de Deus, de Jesus Cristo, da Virgem Maria e de todos os santos.

Parágrafo 2147

2147.Aspromessasfeitas a outrem, em nome de Deus, comprometem a honra, a fidelidade, a veracidade e a autoridade divinas. Devem ser respeitadas por justiça. Ser-lhes infiel é abusar do nome de Deus e, de certo modo, fazer de Deus um mentiroso (72)

Parágrafo 2148

2148.A blasfémiaopõe-se directamente ao segundo mandamento. Consiste em proferir contra Deus – interior ou exteriormente – palavras de ódio, de censura, de desafio; dizer mal de Deus; faltar-Lhe ao respeito nas conversas; abusar do nome d'Ele. São Tiago reprova aqueles «que blasfemam o bom nome [de Jesus] que sobre eles foi invocado» (Tg2, 7). A proibição da blasfémia estende-se às palavras contra a Igreja de Cristo, contra os santos, contra as coisas sagradas. É também blasfematório recorrer ao nome de Deus para justificar práticas criminosas, reduzir povos à escravidão, torturar ou condenar à morte. O abuso do nome de Deus para cometer um crime provoca a rejeição da religião. A blasfémia é contrária ao respeito devido a Deus e ao seu santo nome. É, em si mesma, pecado grave (73).

Parágrafo 2149

2149.Asjuras,que invocam o nome de Deus sem intenção de blasfémia, são uma falta de respeito para com o Senhor. O segundo mandamento interdiz também ouso mágicodo nome divino.

«O nome de Deus é grande, quando é pronunciado com o respeito devido à sua grandeza e majestade. O nome de Deus é santo. quando se pronuncia com veneração e temor de o ofender» (74).

Parágrafo 2160

2160.«Senhor; nosso Deus, como é admirável o vosso nome em toda a terra! (Sl 8, 2).

Parágrafo 2161

2161.O segundo mandamento manda respeitar o nome do Senhor: O nome do Senhor é santo.


Acesse nossos estudos biblicos:

Como a justiça e a misericórdia de Deus são reveladas em Isaías? (Isaías 58:1-14)

Qual é a mensagem por trás da visão de Pedro da descida do lençol com animais impuros em Atos 10:9-16?

Compreendendo a ira de Deus – Habacuque 1:2-4

A Mulher e o Dragão: A luta entre o bem e o mal (Apocalipse 12:1-17)

O que a Bíblia ensina sobre o julgamento final de Deus e o que Malaquias 3:18 nos revela sobre isso?

O que significa o trecho de Malaquias 2:1-2 sobre o perigo de se afastar de Deus?

Qual foi a atitude de Davi em relação a Mefibosete e o que podemos aprender com essa história?


Livraria Católica