Mansão dos Mortos

Explorando o Conceito da ‘Mansão dos Mortos’ em Textos Religiosos

O conceito de uma ‘mansão dos mortos’ ou um lugar para onde as almas dos falecidos vão, está presente em muitos textos religiosos. Nas crenças judaicas antigas, esse conceito era conhecido como Sheol ou nomes semelhantes. Neste artigo, vamos mergulhar nas referências à mansão dos mortos em textos religiosos, incluindo a Bíblia, e examinar o significado por trás desse conceito e sua importância em diferentes culturas e períodos históricos.

– Lugar para onde vão os mortos. Como os judeus não acreditavam na ressurreição, chamavam-no confusamente de sheol ou com nomes semelhantes:

Gn 37,35: “É chorando”, disse ele, “que descerei para junto de meu filho na habitação dos mortos”.

Nm 16,30: Se o Senhor fizer um novo prodígio […] de sorte que desçam vivos à habitação dos mortos.

1Sm 2,6: O Senhor dá a morte e a vida, faz descer à habitação dos mortos e de lá voltar.

Jó 3,1: Enfim, Jó abriu a boca e amaldiçoou o dia de seu nascimento.

Ez 32,18-19: Entoa um cântico fúnebre sobre o povo do Egito: “faze-os descer […] às moradas infernais”.

Dn 3,88: Porque ele nos livrou da permanência nas trevas, salvou-nos da mão da morte; tirou-nos da fornalha ardente.

Lc 16,23: E, estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio.

Ap 6,8: E vi aparecer um cavalo esverdeado. Seu cavaleiro tinha por nome Morte; e a região dos mortos o seguia.

Ap 20,13: O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo, a morte e a morada subterrânea.

– Não é sinônimo de inferno; lá ficavam juntos bons e maus:

1Sm 28,19: Amanhã, tu e teus filhos estareis comigo e o Senhor entregará aos filisteus o acampamento de Israel.

Jó 30,23: Bem sei que me levarás à morte, ao lugar onde se encontram todos os viventes.

Sl 6,6: Porque no seio da morte não há quem de vós se lembre; quem vos glorificará na habitação dos mortos?

Sl 87,6.12-13: Meu leito se encontra entre os cadáveres, como o dos mortos que jazem no sepulcro.

Sl 88,40-49: Rompestes a aliança feita com o vosso servidor, lançastes por terra sua coroa.

Sl 113,25: Não são os mortos que louvam o Senhor, nem nenhum daqueles que descem aos lugares infernais.

Is 38,18: Restituí-me a saúde, fazei-me reviver.

Em conclusão, o conceito de uma ‘mansão dos mortos’ tem sido presente em muitos textos religiosos ao longo da história. As referências a esse conceito em textos religiosos oferecem uma visão sobre as crenças e compreensão da morte e da vida após a morte em diferentes culturas e períodos históricos. Além disso, é importante notar que a mansão dos mortos não é sinônimo de Inferno, pois se acreditava que era um lugar onde tanto as almas boas quanto as más iam. Em geral, o conceito da mansão dos mortos tem desempenhado um papel significativo nas crenças religiosas ao longo da história.