263. Quais são os efeitos do Baptismo?

O Baptismo perdoa o pecado original, todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado; faz participar na vida divina trinitária mediante a graça santificante, a graça da justificação que incorpora em Cristo e na Igreja; faz participar no sacerdócio de Cristo e constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos; confere as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo. O baptizado pertence para sempre a Cristo: com efeito, é assinalado com o selo indelével de Cristo (carácter).


Veja este tema no Catecismo

Parágrafo 1262

1262.Os diferentes efeitos do Baptismo são significados pelos elementos sensíveis do rito sacramental. A imersão na água evoca os simbolismos da morte e da purificação, mas também da regeneração e da renovação. Os dois efeitos principais são, pois, a purificação dos pecados e o novo nascimento no Espírito Santo (60).

Parágrafo 1263

1263.Pelo Baptismotodos os pecadossão perdoados: o pecado original e todos os pecados pessoais, bem como todas as penas devidas ao pecado (61). Com efeito, naqueles que foram regenerados, nada resta que os possa impedir de entrar no Reino de Deus: nem o pecado de Adão, nem o pecado pessoal, nem as consequências do pecado, das quais a mais grave é a separação de Deus.

Parágrafo 1264

1264.No baptizado permanecem, no entanto, certas consequências temporais do pecado, como os sofrimentos, a doença, a morte, ou as fragilidades inerentes à vida, como as fraquezas de carácter, etc., assim como uma inclinação para o pecado a que a Tradição chamaconcupiscênciaou, metaforicamente, a «isca» ou «aguilhão» do pecado(«fomes peccati»):«Deixada para os nossos combates, a concupiscência não pode fazer mal àqueles que, não consentindo nela, resistem corajosamente pela graça de Cristo. Bem pelo contrário, "aquele que tiver combatido segundo as regras será coroado"(2 Tm2, 5)» (62).

Parágrafo 1265

1265O Baptismo não somente purifica de todos os pecados, como faz também do neófito «uma nova criatura» (63), um filho adoptivo de Deus (64), tornado «participante da natureza divina» (65), membro de Cristo (66) e co-herdeiro com Ele (67), templo do Espírito Santo (68).

Parágrafo 1266

1266.A Santíssima Trindade confere ao baptizadoa graça santificante,a graçada justificação,que

– o torna capaz de crer em Deus, esperar n'Ele e O amar, pelasvirtudes teologais;– lhe dá o poder de viver e agir sob a moção do Espírito Santo e pelosdons do Espírito Santo;– lhe permite crescer no bem, pelasvirtudes morais.Assim, todo o organismo da vida sobrenatural do cristão tem a sua raiz no santo Baptismo.

Parágrafo 1267

1267.O Baptismo faz de nós membros do corpo de Cristo. «Desde então [...], somos nós membros uns dos outros.»(Ef4, 25). O Baptismo incorporana Igreja.Das fontes baptismais nasce o único povo de Deusda Nova Aliança, que ultrapassa todos os limites naturais ou humanos das nações, das culturas, das raças e dos sexos: «Por isso é que todos nós fomos baptizados num só Espírito, para formarmos um só corpo» (1Cor12, 13).

Parágrafo 1268

1268.Os baptizados tornaram-se «pedras vivas» para «a edificação dum edifício espiritual, para um sacerdócio santo» (1 Pe2, 5). Pelo Baptismo, participam no sacerdócio de Cristo, na sua missão profética e real, são «raça eleita, sacerdócio de reis, nação santa, povo que Deus tornou seu», para anunciar os louvores d'Aquele que os «chamou das trevas à sua luz admirável»(1 Pe2, 9).O Baptismo confere a participação no sacerdócio comum dos fiéis.

Parágrafo 1269

1269.Feito membro da Igreja, o baptizado já não se pertence a si próprio (69) mas Aquele que morreu e ressuscitou por nós (70). A partir daí, é chamado a submeter-se aos outros (71), a servi-los (72) na comunhão da Igreja, a ser «obediente e dócil» aos chefes da Igreja (73) e a considerá-los com respeito e afeição (74). Assim como o Baptismo é fonte de responsabilidade e deveres, assim também o baptizado goza de direitos no seio da Igreja: direito a receber os sacramentos, a ser alimentado com a Palavra de Deus e a ser apoiado com outras ajudas espirituais da Igreja (75).

Parágrafo 1270

1270.Os baptizados, «regenerados [pelo Baptismo] para serem filhos de Deus, devem confessar diante dos homens a fé que de Deus receberam por meio da Igreja» e participar na actividade apostólica e missionária do povo de Deus (77).

Parágrafo 1271

1271.O Baptismo constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos, mesmo com aqueles que ainda não estão em plena comunhão com a Igreja Católica: «Pois aqueles que crêem em Cristo e foram devidamente baptizados, estão numa certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja Católica justificados no Baptismo pela fé, são incorporados em Cristo, e, por isso, com direito se honram com o nome de cristãos e justamente são reconhecidos pelos filhos da Igreja Católica como irmãos no Senhor» (78). «O Baptismo, pois, constituio vínculosacramental da unidadevigente entre todos os que por ele foram regenerados» (79).


Acesse nossos estudos biblicos:

Como ser generoso e compartilhar com os necessitados?

Quais são os ensinamentos de Deuteronômio sobre a gratidão a Deus?

A Mulher e o Dragão: A luta entre o bem e o mal (Apocalipse 12:1-17)

Compreendendo a soberania de Deus através dos Salmos (Salmos 33:6-9)

Qual é a importância da fundação da igreja em Éfeso descrita em Atos 19:1-10?

O que é a Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém descrita em Marcos 11:1-11?

O que significa a promessa da salvação em meio à escuridão em Miquéias 7:7?


Livraria Católica