Evangelho do dia – sábado, 13 de abril de 2024 – João 6,16-21 – Bíblia Católica

Primeira Leitura (At 6,1-7)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, o número dos discípulos tinha aumentado, e os fiéis de origem grega começaram a queixar-se dos fiéis de origem hebraica. Os de origem grega diziam que suas viúvas eram deixadas de lado no atendimento diário.

Então os Doze Apóstolos reuniram a multidão dos discípulos e disseram: “Não está certo que nós deixemos a pregação da Palavra de Deus para servir às mesas. Irmãos, é melhor que escolhais entre vós sete homens de boa fama, repletos do Espírito e de sabedoria, e nós os encarregaremos dessa tarefa. Desse modo nós poderemos dedicar-nos inteiramente à oração e ao serviço da Palavra”.

A proposta agradou a toda a multidão. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo; e também Filipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Pármenas e Nicolau de Antioquia, um pagão que seguia a religião dos judeus. Eles foram apresentados aos apóstolos, que oraram e impuseram as mãos sobre eles.

Entretanto, a Palavra do Senhor se espalhava. O número dos discípulos crescia muito em Jerusalém, e grande multidão de sacerdotes judeus aceitava a fé.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho (Jo 6,16-21)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.

Soprava um vento forte e o mar estava agitado. Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo.

Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Refletindo a Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Hoje, gostaria de começar nossa reflexão com uma pergunta que ressoa em nossas experiências diárias: como você lida com as adversidades da vida? Todos nós enfrentamos desafios, momentos em que nos sentimos sobrecarregados e incapazes de encontrar uma solução. É nessas situações que nossa fé é testada, e é nessas situações que encontramos as verdades transformadoras da Palavra de Deus.

Nossas leituras de hoje nos convidam a refletir sobre a forma como enfrentamos as adversidades e como Deus age em meio a elas. Na primeira leitura, do livro dos Atos dos Apóstolos, somos apresentados a um desafio enfrentado pela comunidade cristã primitiva. O número de discípulos estava crescendo rapidamente, e surgiram murmurações entre os membros, pois alguns se sentiam negligenciados na distribuição diária de alimentos.

Diante dessa situação, os apóstolos chamaram a comunidade e pediram que escolhessem sete homens cheios do Espírito Santo para assumir a tarefa de cuidar das necessidades dos fiéis. Essa decisão sábia e inspirada permitiu que os apóstolos se dedicassem à oração e ao ministério da Palavra. A comunidade floresceu e a Palavra de Deus se espalhou poderosamente.

Essa narrativa nos ensina uma lição importante sobre a importância da comunidade e da cooperação em face das adversidades. Como membros do corpo de Cristo, somos chamados a nos unir e a cuidar uns dos outros. Quando enfrentamos desafios, não devemos nos isolar ou competir uns com os outros, mas sim buscar soluções juntos, em espírito de amor e serviço mútuo.

Essa mensagem é reforçada pelo Evangelho de João, que nos traz a famosa história de Jesus caminhando sobre as águas. Após alimentar a multidão com apenas cinco pães e dois peixes, Jesus ordena aos discípulos que entrem no barco e o precedam para o outro lado do mar. Enquanto eles enfrentam ventos contrários e ondas agitadas, Jesus se aproxima caminhando sobre as águas.

Essa cena é rica em simbolismo e implicações espirituais profundas. Os discípulos representam cada um de nós, navegando pelas águas turbulentas da vida. As ondas e os ventos contrários são as adversidades e desafios que encontramos em nosso caminho. E Jesus, caminhando sobre as águas, nos mostra que Ele está presente em meio às nossas dificuldades.

Essa história nos revela três lições essenciais. Primeiro, nos lembra que, mesmo quando enfrentamos tempestades, Jesus está conosco. Ele não nos abandona nas águas agitadas da vida, mas se aproxima de nós com Sua graça e poder para nos sustentar e nos fortalecer. Em nossas horas mais escuras, podemos encontrar consolo e esperança na presença de Cristo.

Segundo, essa história nos ensina sobre a importância da fé em meio às adversidades. Pedro, ao ver Jesus caminhando sobre as águas, pede para ir até Ele. Ele tem coragem para dar um passo de fé, mas quando se deixa levar pelo medo e pelas circunstâncias ao seu redor, começa a afundar. Jesus estende a mão e o salva, mas também adverte sobre a pequenez de sua fé.

Assim como Pedro, somos desafiados a confiar em Jesus e a manter nossa fé firme, mesmo em meio às tempestades. Quando enfrentamos dificuldades, é fácil nos deixarmos levar pelo medo e pela incerteza. No entanto, é precisamente nesses momentos que somos chamados a olhar para Jesus e a confiar em Sua promessa de que Ele está conosco até o fim dos tempos.

A terceira lição que extraímos dessa história é a necessidade de perseverança e confiança em Deus. Jesus caminhou sobre as águas até chegar ao barco dos discípulos, mas Ele não fez isso imediatamente. Ele esperou até que eles tivessem remado cerca de cinco ou seis quilômetros. Jesus permite que enfrentemos desafios e dificuldades,pois é através dessas situações que nossa fé é refinada e fortalecida.

Queridos irmãos e irmãs, as passagens bíblicas que refletimos hoje nos convidam a uma profunda reflexão sobre como enfrentamos as adversidades em nossas vidas. Somos chamados a nos unir como comunidade, a cuidar uns dos outros e a buscar soluções juntos. Não devemos nos isolar ou competir, mas nos apoiar mutuamente em amor e serviço.

Além disso, somos chamados a confiar em Jesus, sabendo que Ele está presente em meio às nossas tempestades. Ele caminha sobre as águas agitadas de nossas vidas, nos estendendo a mão para nos sustentar e nos fortalecer. Devemos ter coragem para dar passos de fé e não nos deixar levar pelo medo ou pelas circunstâncias ao nosso redor.

E, por fim, somos chamados à perseverança e confiança em Deus. Ele permite que enfrentemos desafios, mas Ele não nos abandona. Ele está conosco em cada momento, nos guiando e nos sustentando. Através das tempestades, somos moldados e fortalecidos em nossa fé.

Queridos irmãos e irmãs, que essas verdades espirituais se tornem tangíveis e aplicáveis em nossas vidas diárias. Quando enfrentarmos adversidades, lembremo-nos de nos unir como comunidade, de confiar em Jesus e de perseverar em nossa fé. Busquemos a orientação divina em nossas ações e busquemos o apoio uns dos outros.

Assim como os discípulos no barco, vamos enfrentar ventos contrários e ondas agitadas ao longo de nossa jornada. Mas tenhamos esperança, pois o próprio Cristo caminha conosco. Ele é a nossa âncora em meio às tempestades e o farol que nos guia para um porto seguro.

Que a graça de Deus nos fortaleça e nos capacite a vivermos de acordo com esses ensinamentos. Que nossas vidas sejam testemunhas vivas do poder transformador da Palavra de Deus. E que, em meio às adversidades, encontremos paz, esperança e alegria em nossa fé em Jesus Cristo.

Oremos para que, ao enfrentarmos as tempestades da vida, sejamos fortalecidos em nossa fé, unidos como comunidade e cheios da confiança de que Jesus está conosco. Que Ele nos guie e nos sustente em todas as circunstâncias, levando-nos a uma vida plena e abundante.

Que assim seja. Amém.


Livraria Católica