Parágrafo 2577

2577.Nesta intimidade com o Deus fiel, lento em irar-Se e cheio de amor (20), Moisés hauriu a força e a tenacidade da sua intercessão. Ele não ora por si, mas pelo povo que Deus adquiriu para Si. Já durante o combate com os amalecitas (21) ou para obter a cura de Miriam (22), Moisés foi intercessor. Mas foi sobretudo após a apostasia do povo que ele «se mantém na brecha» diante de Deus(Sl106, 23), para salvar o mesmo povo (23). Os argumentos da sua oração (a intercessão também é um combate misterioso) irão inspirar a audácia dos grandes orantes, tanto do povo judaico como da Igreja: Deus é amor e, portanto, é justo e fiel; Ele não pode contradizer-Se; há-de, por conseguinte, lembrar-Se das suas acções maravilhosas; está em jogo a sua glória; Ele não pode abandonar o povo que tem o seu nome.



Aprofunde seus conhecimentos

255. Desde quando e a quem é que a Igreja administra o Baptismo?

327. Qual é a missão do Bispo na Igreja particular que lhe foi confiada?

173. Como é que a Igreja é missionária?

518. Como realizar a justiça e a solidariedade entre as nações?

15. A quem é confiado o depósito da fé?

226. Qual a ligação entre os sacramentos e a Igreja?

336. Com que autoridade é exercido o sacerdócio ministerial?


Acesse nossos estudos biblicos:

Qual é a importância do propósito e da missão de Ester em Ester 4:14?

Qual é a ciclicidade da história de Israel e como é retratada em Juízes 3-16?

A volta de Cristo: O que sabemos e o que esperamos (2 Tessalonicenses 2:1-12)?

O que significa ser uma nova criatura em Cristo, conforme descrito em 2 Coríntios 5:17?

O pacto de Deus com Davi: um compromisso eterno (2 Samuel 7)

Qual é a história de Jonas e que lições podemos aprender com ela?

Qual é a mensagem por trás da visão de Pedro da descida do lençol com animais impuros em Atos 10:9-16?


Livraria Católica