Parágrafo 2846

2847.O Espírito Santo permite-nosdiscernirentre a provação, necessária ao crescimento do homem interior (134) em vista duma virtude «comprovada» (135) e a tentação que conduz ao pecado e à morte (136). Devemos também distinguir entre «ser tentado» e «consentir» na tentação. Finalmente, o discernimento desmascara a mentira da tentação: aparentemente, o seu objecto é «bom, agradável à vista, desejável»(Gn3, 6), quando, na realidade, o seu fruto é a morte.

«Deus não quer impor o bem, quer seres livres […]. Para alguma coisa serve a tentação. Ninguém, senão Deus, sabe o que a nossa alma recebeu de Deus, nem nós próprios. Mas a tentação manifesta-o para nos ensinar a conhecermo-nos e desse modo descobrir a nossa miséria e obrigar-nos a dar graças pelos bens que a tentação nos manifestou» (137).



Aprofunde seus conhecimentos

69. Como é que, no homem, a alma e o corpo formam uma unidade?

335. Quais são os efeitos do sacramento da Ordem?

497. Quando é que a regulação dos nascimentos é moral?

48. Como é que a Igreja exprime a sua fé trinitária?

199. Como é que a bem-aventurada Virgem Maria é ícone escatológico da Igreja?

467. Porque é que a legítima defesa das pessoas e das sociedades não vai contra tal norma?

525. Como usar os meios de comunicação social?


Acesse nossos estudos biblicos:

Qual é a importância do propósito e da missão de Ester em Ester 4:14?

Como a história do Rico e Lázaro nos alerta sobre as consequências da ganância? (Lucas 16:19-31)

A adoração em espírito e em verdade: O que o culto descrito no Levítico nos ensina sobre a adoração verdadeira a Deus? (Levítico 1-7; 10)

Como Salomão se tornou o rei mais sábio que já existiu? Uma análise de 1 Reis 3.

Quais são as 5 lições importantes sobre a sabedoria encontradas em Baruc 3:9-12?

O que a Bíblia nos ensina sobre a sabedoria como um dom de Deus?

A Torre de Babel: O que essa história nos ensina sobre a soberania de Deus? (Gênesis 11:1-9)


Livraria Católica