Parágrafo 468

468.Depois do Concílio de Calcedónia, alguns fizeram da natureza humana de Cristo uma espécie de sujeito pessoal. Contra eles, o quinto Concílio ecuménico, reunido em Constantinopla em 553, confessou a propósito de Cristo: «não há n’Ele senão uma só hipóstase (ou pessoa), que é nosso Senhor Jesus Cristo,um da santa Trindade»(95).Tudo na humanidade de Cristo deve, portanto, ser atribuído à sua pessoa divina como seu sujeito próprio (96); não só os milagres, mas também os sofrimentos (97) e a própria morte: «Aquele que foi crucificado na carne, nosso Senhor Jesus Cristo, é verdadeiro Deus, Senhor da glória e um da Santíssima Trindade» (98).



Aprofunde seus conhecimentos

350. Porque é que a família cristã é chamada Igreja doméstica?

575. Como fortalecer a nossa confiança filial?

293. Quando é possível administrar a sagrada Comunhão aos outros cristãos?

201. Porque é que a Igreja tem o poder de perdoar os pecados?

471. O que é consentido, medicamente, quando a morte é tida como iminente?

32. De que maneira a fé da Igreja é uma só?

360. Porque é que as Bem-aventuranças são importantes para nós?


Acesse nossos estudos biblicos:

Qual é a importância da coragem e ousadia, de acordo com Provérbios 28:1?

O que significa ser uma nova criatura em Cristo, conforme descrito em 2 Coríntios 5:17?

Qual é o significado de Cristo ser a Cabeça da Criação, como mencionado em Colossenses 1:15-17?

Qual é a importância da gratidão e do reconhecimento segundo o livro de Provérbios?

A Torre de Babel: O que essa história nos ensina sobre a soberania de Deus? (Gênesis 11:1-9)

Como Neemias lidou com a divisão entre os judeus ricos e pobres em Neemias 5?

Qual a importância do cuidado com os mortos na Bíblia e o que podemos aprender com a história de Tobias e o enterramento dos mortos?


Livraria Católica